0

Papa Bento XVI entrega o pálio a sete arcebispos brasileiros

29 jun 2012
05h46
atualizado às 06h21

O papa Bento XVI entregou nesta sexta-feira no Vaticano o pálio, símbolo de comunhão com o bispo de Roma, a 43 arcebispos, sendo sete brasileiros, nomeados durante os últimos 12 meses.

Tratam-se de Dom Wilson Tadeu Jonck, de Florianópolis (SC); Dom José Francisco Rezende Dias, de Niterói (RJ); Dom Esmeraldo Barreto de Farias, de Porto Velho (RO); Dom Airton José dos Santos, de Campinas (SP); Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, de Teresina (PI); Dom Paulo Mendes Peixoto, de Uberaba (MG); e Dom Jaime Vieira Rocha, de Natal (RN).

O pálio é uma espécie de colarinho de lã branca com largura de quatro a seis centímetros e seis cruzamentos de seda preta bordadas longitudinalmente. Esse símbolo é confeccionado com a lã de dois cordeiros brancos que são bentos no Vaticano, onde são levados perante o papa em diferentes cestas de vime decoradas com flores.

Os dois animais, oferecidos pelo cabido da Basílica de São João de Latrão, seguindo uma antiga tradição, são mais tarde entregues às freiras beneditinas de Santa Cecília, que se encarregam de tosquiá-los e confeccionar os pálios.

Antigamente, o pálio era um sinal litúrgico exclusivo dos papas, mas depois passou a ser concedido também aos bispos que recebiam de Roma uma especial jurisdição.

EFE   

compartilhe

publicidade
publicidade