PUBLICIDADE

País terá padrão de plugues e tomadas por maior segurança

21 out 2009 06h17
| atualizado às 08h51
Publicidade


O País conclui em 2011 todas as etapas do processo de criação do padrão brasileiro de plugues e tomadas em conformidade com a norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). O anúncio foi feito na terça-feira pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).

A padronização se tornou obrigatória por meio de portaria do instituto, publicada em 2000. Naquele ano foram estabelecidos diferentes prazos para que os vários segmentos da indústria adotem as novas regras a partir de janeiro de 2010, com todo o processo de conversão concluído, inclusive por parte do comércio, a partir de julho de 2011, quando os aparelhos elétricos e eletrônicos à venda terão que estar adaptados.

Pelo calendário divulgado pelo Inmetro, em 1º de janeiro do próximo ano vence o prazo para que os fabricantes de aparelhos eletroeletrônicos parem de produzir e para que os importadores parem de comprar equipamentos com plugues antigos. Em 1º de outubro de 2010, vence o prazo para que os fabricantes e importadores comercializem para o varejo produtos com plugues antigos. A partir dessa data, os produtos devem sair de fábrica e ser importados com o plugue no novo padrão.

Em 1º de janeiro de 2011, vence o prazo para que o comércio varejista venda, de maneira avulsa, plugues e tomadas do modelo antigo. A etapa final está prevista para 1º de julho de 2011, quando vence o prazo para que o comércio varejista venda aparelhos eletroeletrônicos com o plugue antigo.

Em entrevista à Agência Brasil, o chefe da Divisão de Programa de Avaliação da Conformidade do Inmetro, Gustavo Kuster, lembrou que, até então, o Brasil tem mais de 12 tipos diferentes de plugues e oito de tomadas. "Essa diversidade toda causa uma série de situações de riscos. A incompatibilidade levava a que o consumidor adotasse uma série de opções sem qualquer segurança, como lixar o pino do plugue. Além, naturalmente, da perda da energia elétrica, transformada pela irregularidade em calor com risco ao usuário."

Para ele, o mérito da padronização que está sendo adotada pelo Inmetro é exatamente o aumento da segurança. "A tomada e o plugue, como hoje são feitos, permitem o que chamamos de inserção parcial. A finalidade da padronização que vem sendo discutida desde o final da década de 90 tem esse objetivo da segurança."

Com a adoção do padrão, o mercado brasileiro passa a ter apenas dois modelos de plugues e tomadas: de dois e de três pinos redondos. O Inmetro informou ainda que o pino chato desaparece.

Consumidor
De acordo com Kuster, o consumidor brasileiro não terá que se preocupar, em um primeiro momento, com a padronização de plugues e tomadas. "Apesar dos 12 tipos de plugues diferentes e dos oito tipos de tomadas com que convivem os brasileiros atualmente, o consumidor, de maneira geral, não terá que tomar nenhuma grande atitude em um primeiro momento para trocar plugue ou tomada de sua casa, uma vez que 80% dos plugues antigos utilizados no País se conectam à nova tomada", avaliou.

Segundo Kuster, as mudanças para o consumidor final terão início a partir de 1º de janeiro de 2010, quando ele for comprar equipamentos como refrigerador, máquinas de lavar roupa, ar condicionado e micro-ondas. "Para usar esses equipamentos, ele terá que trocar a tomada de sua casa", explicou.

Kuster acredita que, a partir de 1º de janeiro de 2010, começarão a chegar ao mercado aparelhos eletrodomésticos com o novo padrão. "O que estamos fazendo é dando prazo para que os setores envolvidos deem maior segurança ao que produzem ou vendem para o consumidor. São medidas que evitarão que ele sofra um choque elétrico ao ligar aparelhos que geralmente descarregam corrente elétrica excedente", disse, lembrando que "muitos eletrodomésticos e eletroeletrônicos já estão com seus plugues e tomadas adaptados, como é o caso das TVs e geladeiras."

"O que o consumidor agora tem a fazer é ficar atento aos novos equipamentos que começarão a chegar ao mercado já com o plugue padrão. A padronização veio facilitar a vida do usuário e aumentar sua segurança", reforçou.

Discussão
A preocupação com a segurança de plugues e tomadas de uso doméstico começou a ser discutida, segundo o Inmetro, na década de 80, quando o Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro) considerou esses produtos prioritários para a concessão da Marca da Conformidade às normas brasileiras.

Em setembro de 1983, o Inmetro aprovou o Regulamento Específico para Plugues e Tomadas de uso doméstico e tornou obrigatória a certificação desses produtos de acordo com as normas técnicas de segurança publicadas pela ABNT. A norma dizia respeito apenas à segurança dos produtos e não fazia menção ainda à padronização.

As informações do Inmetro indicam ainda que a padronização começou a ser discutida na mesma ocasião em foros técnicos nacionais e internacionais, que concluíram que a segurança de plugues e tomadas apresentava relação direta com a criação de um padrão único.

A proposta, no entanto, só ganhou corpo na década de 90, quando a International Electrotechnical Commision (IEC) publicou a Norma IEC 60906-01, propondo a criação de um padrão internacional. "No Brasil, a abertura do mercado a produtos importados mostrou que a rede elétrica podia variar muito e ameaçar a segurança desses produtos", afirmou o Inmetro.

O que muda com a padronização
Acabam os plugues de pino chato; os aparelhos passam a ter plugues somente com pinos redondos.

Dependendo das características do aparelho, ele poderá ter plugue de dois ou três pinos. O terceiro pino funciona como fio terra dos produtos que precisam de aterramento para evitar choques, desde que a instalação elétrica residencial disponha desse recurso.

Os pinos terão diâmetros diferenciados de acordo com a corrente elétrica de que o aparelho necessita para funcionar. Essa informação deverá constar na embalagem dos produtos. Terão um diâmetro para aparelho que operam com até 10 amperes e outro para os que operam entre 10 e 20 amperes. Isso impede que um aparelho de maior amperagem possa ser conectado a instalação de até 10 amperes, sobrecarregando-a.

Em alguns casos, o consumidor terá que trocar as tomadas antigas por novas que estejam dentro do padrão para poder conectar aparelhos com plugues padronizados.

Em alguns casos, será necessário o uso temporário de adaptadores certificados pelo Inmetro, para conectar aparelhos com plugues fora do padrão a instalações elétricas que estejam dentro do padrão, bem como de aparelhos com plugues padronizados a instalações elétricas com tomadas não padronizadas.

Agência Brasil Agência Brasil
Publicidade