2 eventos ao vivo

Sob aplausos, corpo de Niemeyer deixa Palácio do Planalto

6 dez 2012
20h30
atualizado às 20h36
Luciana Cobucci
Direto de Brasília

Após quase 4h, o caixão com o corpo do arquiteto Oscar Niemeyer deixou o Palácio do Planalto, onde foi velado com honras de chefe de Estado. Todo o trajeto até o caminhão do Corpo de Bombeiros foi acompanhado de aplausos das cerca de 100 pessoas que acompanhavam o cortejo. Os presentes também entoaram o Hino Nacional e gritavam "viva Niemeyer" e "viva o comunismo" - já que o arquiteto era um comunista declarado.

Multidão acompanha a saída do caixão com o corpo de Niemeyer do Palácio do Planalto
Multidão acompanha a saída do caixão com o corpo de Niemeyer do Palácio do Planalto
Foto: Luciana Cobucci / Terra

Veja fotos das principais obras de Oscar Niemeyer
Conheça a trajetória do arquiteto

Segundo estimativas da Polícia Militar, 3,8 mil pessoas acompanharam o velório, que ficou aberto ao público por cerca de 3 horas. De Brasília, o corpo segue para o Rio de Janeiro ainda na noite de hoje, onde será velado e enterrado nesta sexta-feira. Niemeyer faleceu na noite de ontem no hospital Samaritano. O arquiteto completaria 105 anos no próximo dia 15.

O velório de Oscar Niemeyer teve a presença de autoridades, mas também de anônimos, que foram prestar a última homenagem ao arquiteto. A fila do lado de fora do Palácio do Planalto aumentava a cada minuto. Servidores dos órgãos da Esplanada dos Ministérios saíram do trabalho para homenagear aquele que projetou prédios importantes da capital federal.

Foi o caso das estagiárias do Senado Andréia Meireles, estudante de Publicidade, e Cleidiane Macedo, que cursa Administração. "É um privilégio morar numa obra viva, projetada por ele. E é muito legal poder trabalhar no monumento do qual ele mais tinha orgulho, que é o Congresso Nacional", disse Cleidiane. "Ele levou Brasília para ser conhecida por todo o mundo", afirmou Andréia.

Emocionado, o estudante de Ciência Política Ricardo Durigan disse ser um admirador da obra do arquiteto. "É quase impossível separar a política da arquitetura, ainda mais em Brasília. Vim homenagear esse ícone brasileiro, que conseguiu materializar seus principais ideais em obras", disse o estudante, que vestia uma camisa estampada com o esboço da Catedral Metropolitana, nos traços do arquiteto.

Morre Oscar Niemeyer
O arquiteto Oscar Niemeyer morreu às 21h55 do dia 05 de dezembro de 2012, aos 104 anos, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, de infecção respiratória. Ele estava internado na instituição de saúde desde o dia 6 de novembro, onde alternou quadros de melhoria e de piora na saúde.

Considerado um dos nomes mais influentes da arquitetura moderna mundial, Niemeyer foi responsável pelas principais obras da construção de Brasília, inaugurada em 1960. Carioca, nasceu em 15 de dezembro de 1907 no bairro de Laranjeiras, no Rio.

Fonte: Terra
publicidade