4 eventos ao vivo

"Oscar era um autêntico Quixote", diz ex-diretor do Centro Niemeyer

6 dez 2012
18h05
atualizado em 7/12/2012 às 01h11

"Oscar Niemeyer era um autêntico Quixote disposto a lutar pelos mais fracos. A única escultura que tinha em seu estúdio de Copacabana era a de Quixote", lembrou nesta quinta-feira Natalio Grosso, ex-diretor do Centro Cultural Internacional Oscar Niemeyer da cidade de Avilês, na Espanha.

"Oscar Niemeyer era uma pessoa que tinha uma força moral enorme em seu país", disse grosso
"Oscar Niemeyer era uma pessoa que tinha uma força moral enorme em seu país", disse grosso
Foto: Roberto Filho / AgNews

Grosso não escondeu seu orgulho por ter trabalhado com o arquiteto brasileiro durante seis anos "na criação de todo o projeto" do atual Centro Niemeyer de Avilês.

Agora diretor de Artes Cênicas da Comunidade Autônoma de Madri, Grosso dirigiu esse centro desde que o arquiteto brasileiro doou o projeto, no final de 2006, até que o Governo de Álvarez Casco retirou a cessão do mesmo à Fundação Niemeyer no dia 15 de dezembro de 2011.

Também recordou que desenharam o centro "juntos, pensando que tinha que ser um espaço para a educação e a cultura", e esse processo de criação foi "a experiência mais maravilhosa e inesquecível" de sua vida.

"Niemeyer acreditava que todas as artes estavam unidas e era escritor, poeta, músico e filósofo: um dos grandes humanistas de nosso tempo", declarou.

"Mas, acima de tudo, era uma pessoa muito bondosa e generosa e sempre tinha as portas de sua casa abertas a todo aquele que precisasse de sua ajuda", acrescentou.

O Centro Niemeyer de Avilês é "a única obra" do brasileiro na Espanha e "sua obra mais querida porque tinha uma dimensão social", ressaltou Grosso.

"Niemeyer doou o centro com uma generosidade tremenda e essa obra, acima das pessoas e dos políticos, ficará ali para muitos anos", comentou.

"Oscar Niemeyer era uma pessoa que tinha uma força moral enorme em seu país, que foi perseguido durante a ditadura e, no final, foi reconhecido em sua própria terra como um dos grandes criadores de nosso tempo", continuou.

O criador de obras emblemáticas da arquitetura moderna como a catedral de Brasília pensava que "o importante não é a arquitetura, mas a vida e fazer um mundo melhor", concluiu Grosso.

Morre Oscar Niemeyer
O arquiteto Oscar Niemeyer morreu às 21h55 do dia 05 de dezembro de 2012, aos 104 anos, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, de infecção respiratória. Ele estava internado na instituição de saúde desde o dia 6 de novembro, onde alternou quadros de melhoria e de piora na saúde.

Considerado um dos nomes mais influentes da arquitetura moderna mundial, Niemeyer foi responsável pelas principais obras da construção de Brasília, inaugurada em 1960. Carioca, nasceu em 15 de dezembro de 1907 no bairro de Laranjeiras, no Rio.

EFE   
publicidade