inclusão de arquivo javascript

 
 

Aracruz alega perda de milhões com invasão no RS

08 de março de 2006 16h41 atualizado às 17h05

Mulheres destruiram horto florestal da Aracruz. Foto: EFE

Mulheres destruiram horto florestal da Aracruz
Foto: EFE

A Aracruz, maior produtora mundial de celulose branqueada de eucalipto, informou na tarde desta quarta-feira que a destruição de seu laboratório por integrantes da Via Campesina representa "uma perda ainda não determinada em produtividade florestal da ordem de milhões de dólares".

  • Mulheres da Via Campesina invadem horto florestal
  • Sem-terra invadem universidade em protesto no RS

    Cerca de 2 mil pessoas, a maioria mulheres, entraram no horto florestal da Fazenda Barba Negra, da Aracruz, no município de Barra do Ribeiro (RS), na madrugada de quarta-feira. Os camponeses protestavam contra lavouras de eucalipto, destinadas à produção de celulose.

    Mais cedo, a Aracruz havia informado que a destruição do laboratório de pesquisas causou prejuízo de cerca de US$ 400 mil, afora as perdas intangíveis.

    A empresa comunicou que perdeu materiais genéticos que levaram cerca de 15 anos para serem produzidos e outros que não podem ser recuperados.

  • Reuters
    Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.