inclusão de arquivo javascript

 
 

Mortos com a chuva já somam 43 em MG

21 de janeiro de 2003 10h17 atualizado às 16h07

Antônio lamenta a perda de seis filhos e três sobrinhos no Morro das Pedras.. Foto: Hoje em Dia

Antônio lamenta a perda de seis filhos e três sobrinhos no Morro das Pedras.
Foto: Hoje em Dia

Mais cinco pessoas morreram ontem em Minas Gerais vítimas da chuva, subindo para 43 o balanço da tragédia que se estende desde a madrugada da quinta-feira da semana passada.

O flanelinha Antônio José Laurêncio, de 37 anos, retornou ontem ao Morro das Pedras, onde perdeu seis filhos e três sobrinhos, vítimas de desmoronamento provocado pelas chuvas na madrugada da última quinta-feira. Cada filho e sobrinho ganhou uma cruz com o seu nome, uma forma que Antônio disse ter encontrado para expressar a sua dor e revolta.

Na madrugada de ontem, quatro ocupantes de um Fiat Uno morreram afogados em Piraúba, na Zona da Mata, quando tentavam passar sobre uma ponte sobre o córrego São Domingos, que estava cheio.

O carro foi arrastado pela correnteza, matando Altemiro Oliveira Dutra, José Pereira, Valdemir Alves Duarte e Maria José Espíndola de Almeida.

Ainda na madrugada de ontem, um deslizamento de terra em Visconde do Rio Branco, também na Zona da Mata, soterrou casa com quatro pessoas. Herlen de Paula Jesus Camilo, de dois anos, morreu.

Neste ano, de acordo com o balanço da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), já são 1.368 desabrigados e 8.331 desajolados. Devido às chuvas, 2.456 casas e 29 pontes ficaram danificadas ou destruídas.

Em São Gonçalo do Rio Abaixo, as chuvas provocaram um buraco na pista da BR-381 entre São Gonçalo do Rio Abaixo e Itabira. A estrada ficou parcialmente interditada. As chuvas também causaram deslizamentos de encostas em Itabira, no Vale do Aço, mas não houve feridos.

Em Governador Valadares, a laje de uma loja desabou na manhã de ontem com quatro pessoas em cima, entre elas um bebê de seis meses. Apenas a criança não sofreu escoriações. Na queda, de seis metros de altura, um rapaz abraçou o bebê, protegendo-o. "Foi Deus quem salvou a gente", contou o autônomo Genézio Pereira, 63 anos.

De acordo com ele, o filho Genézio Pereira Júnior, de 20, e um amigo da família, identificado apenas por "Nego", que estava com o bebê Cluviter Pereira no colo, conversavam sobre a laje, que caiu. "Fomos engolidos. Caímos de uma altura de seis metros", calcula, lembrando que o amigo segurou firme o neto, que foi hospitalizado em estado de choque.

No município de Carvalhos, Sul de Minas, 25 pessoas estão desabrigadas com um temporal ocorrido no sábado. Várias outras casas estão ameaçadas de desabamento, com rachaduras e erosões.

Antônio Luís Martins salvou um idoso da enchente, colocando-o sobre um telhado, mas morreu afogado quando fazia o percurso de volta a nado. Seu corpo foi encontrado várias horas depois. No município, várias pessoas estão ilhadas na zona rural.

A situação continua crítica em Caratinga, na Zona da Mata, levando o prefeito Ernani Campos Porto a decretar a suspensão, em caráter excepcional, do funcionamento do comércio, da indústria, serviços de órgãos públicos municipais, estaduais e federais, de instituições financeiras públicas e privadas, de quinta-feira da semana passada até amanhã.

Apenas os serviços considerados essenciais à população são mantidos, como os da área de saúde, limpeza pública e assistência social. A cidade, onde três pessoas morreram e uma criança de dois anos está desaparecida, está em estado de calamidade pública desde 7 de janeiro.

Ontem, o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Odelmo Leão, determinou à Fundação Rural Minas (Ruralminas) auxílio às populações atingidas pelas chuvas em Minas. A primeira providência será liberação de máquinas para limpeza e desobstrução de estradas de acesso a Visconde do Rio Branco, Caratinga, Raul Soares, Ribeirão das Neves e Pedra Dourada.

Hoje em Dia