inclusão de arquivo javascript

 
 

Visita de Lula à favela Irmã Dulce minuto-a-minuto

10 de janeiro de 2003 12h57

11h15s29 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua comitiva estão na favela Vila Irmã Dulce, considerada a segunda maior favela fruto de ocupação irregular de toda a América Latina.

11h16s55 - Lula está acompanhado de uma comitiva de 30 ministros e secretários de Estado, além da primeira-dama, Marisa Letícia. Cerca de 3,5 mil pessoas esperam pela comitiva diante do palanque montado no centro da Vila Irmã Dulce, a 15 quilômetros da capital.

11h19s08 - Além de fazer uma rápida visita a algumas casas da comunidade, Lula e os ministros receberão documentos com reivindicações dos moradores da região.

11h21s02 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou agora à favela Irmã Dulce, a 15 quilômetros de Teresina, Piauí.

11h22s36 - A previsão é que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visite a casa de Rejelane Maria da Conceição, de 23 anos. Ela pediu ao presidente material para terminar a construção e também um emprego para sustentar seus três filhos.

11h23s16 - Lula cumprimenta moradores da favela. Ele estava do outro lado da rua e atravessou para visitar casas dos moradores da favela.

11h27s59 - A favela irmã Dulce é uma das maiores favelas do Piauí.

11h29s41 - O ministro dos Esportes, Agnelo de Queiroz, considera fundamental a iniciativa da viagem, porque é uma forma de conhecer com mais detalhes os problemas da seca e da miséria.

11h30s06 - Lula é cercado por muitos moradores, que lhe pedem autógrafos.

11h31s36 - Nesta favela, metade das famílias recebe menos de sdois salários mínimos.

11h32s28 - O presidente cumprimenta agora uma criança e uma portadora de deficiência física, que entrega um bilhete a Lula.

11h34s33 - Os moradores da favela Irmã Dulce estão muito empolgados com a visita e é possível ouvir muitos gritos.

11h35s50 - Lula e o governador do Piauí, Wellington Dias, sobem ao palanque para falar aos moradores da favela Irmã Dulce. São muito aplaudidos.

11h36s51 - José Levi de Almeida, representante do grêmio dos moradores, será o primeiro a falar.

11h37s32 - Lula lê um cartaz cor-de-rosa, que lhe foi entregue por um morador.

11h38s55 - José Levi de Almeida agradece a presença de Lula à sua comunidade e diz que tem "esperanças de que os novos dias sejam melhores" e dá as boas-vindas ao presidente e ao governador.

11h39s33 - Ele repassa ao presidente as reivincações dos moradores.

11h40s07 - Wellington Dias, governador do Piauí, agradece a presença do presidente, dos ministros e de todas as autoridades presentes.

11h42s16 - Wellington Dias ressalta que, na favela Irmã Dulce, vivem dois terços dos desempregados do Piauí. Que o Estado tem rios, mas as casas não têm água. A maioria dos chefes de família são mulheres, que não tiveram acesso à educação.

11h43s04 - Mesmo com as deficiências, o governador considera que o Estado tem grande potencial para a produção de alimentos: grãos, mel, caprinos e ovinos.

11h44s36 - Wellington Dias, governador do Piauí, ressalta também a grande quantidade de minérios. A possibilidade de produzir minérios, o potencial para o turismo - com "belas praias" e parques nacionais também são ressaltados por Dias.

11h45s42 - O governador diz que, apesar da condição de miséria, ele e sua equipe têm o sonho de "construir um outro Piauí", que ele considera "um Estado rico que empobreceu".

11h46s43 - O presidente Lula recebe as reivindicações das comissões de Guaribas, entregue por José Silveira Bastos, e de Atauã, repassada por Francisco Pedro de Souza.

11h47s21 - Lula recebe ainda reivindicações de outros moradores do Semi-árido brasileiro.

11h48s11 - Lula lê o documento e se prepara para discursar.

11h49s31 - Lula diz que, desde 1980, vai ao Piauí pelo menos uma vez a cada ano e conheceu ali muita gente boa.

11h50s34 - Lula diz que, ainda que pobreza seja pobreza em qualquer lugar, em alguns casos ela é mais grave.

11h51s21 - O presidente afirma que fez questão de levar os ministros a Teresina, pois eles precisavam conhecer aquela realidade.

11h51s56 - Lula apresenta seus ministros à comunidade, que são aplaudidos pelos moradores da Favela Irmã Dulce.

11h53s27 - Ao apresentar o "companheiro Humberto Costa", Lula o apresenta como quem "será o ministro da Saúde", em um ato falho, como se não tivesse tomado posse ainda.

11h54s24 - Gilberto Gil, ministro da Cultura, o mais conhecido dos ministros, foi o mais aplaudido.

11h56s10 - A secretária de Políticas Especiais para Mulheres, Emília Fernandes, foi a única até agora que usou o microfone em sua fala, puxando um "viva as mulheres!"

11h57s23 - Ao apresentar Ciro Gomes, Lula diz que ele foi uma das pessoas "mais dignas" que ele já conheceu, não só por apoiá-lo desde o início do segundo turno, mas também por aceitar o ministério da Integração Nacional.

11h59s05 - Lula chama Miro Teireira, ministro das Comunicações, de "secretário da Comunicação", cargo na verdade ocupado por Luís Gushiken.

12h00s06 - Respondendo a uma mulher que o chama, Lula diz "peraí, meu amor, que eu já vou já. Não se aperreie não, que eu já vou te dar um cheiro".

12h00s57 - Lula apresenta agora José Graziano, ministro da Segurança Alimentar e do combate à fome.

12h01s43 - Lula interrompe sua apresentação para pedir a "Nazareno, você que é médico", para socorrer uma pessoa que desmaiou ao ver seu discurso.

12h02s23 - Voltando a falar de fome, Lula diz que entrou em uma das casas e "vi uma situação que eu vi nos anos 50 e eu quero combater".

12h03s13 - Lula apresenta o secretário de Direitos Humanos, Nilmário Miranda, dizendo que "quero tratar a fome e a miséria como uma questão de direitos humanos".

12h04s10 - "Não é normal, não está na Bíblia, não está em lugar nenhum que a pessoa possa ficar três a quatro dias sem comer neste país".

12h04s53 - Lula diz que quer "melhorar os compromissos moral e ético dos homens deste país, que precisam aprender a ajudar a criar os filhos que eles botam no mundo".

12h06s55 - Lula interrompe novamente suas apresentações para ouvir um morador da favela Irmã Dulce. Do microfone, promete conversar com ele depois.

12h07s44 - Os moradores da favela continuam aplaudindo muito todos os "companheiros ministros e secretários" apresentados por Lula.

12h09s22 - Lula lembra seus colegas mortos, os ex-prefeitos de Santo André, Celso Daniel, e de Campinas, Antônio da Costa Santos, o Toninho do PT.

12h10s37 - Lula diz que o "ministro Cristóvam Buarque (da Educação) vai fazer a Bolsa-escola, mas não essa miséria de R$ 15 que tem aí".

12h11s06 - Lula diz que não vai prometer nada, porque "presidente não tem que prometer, tem é que fazer".

12h12s23 - Lula diz aos moradores que as reivindicações deles são "muito humildes, muito simples" e "qualquer governo que tiver o mínimo de juízo vai atender às reivindicações de vocês".

12h13s46 - Lula lê para os ministros algumas das reivindicações dos ministros. Sobre o pedido de verbas para moradias, Lula diz a seus ministros que "dizer que essas casinhas de chão batido com um buraco no fundo como banheiro são moradias é simplesmente um absurdo".

12h14s40 - Lula continua a leitura dos pedidos dos moradores, de água e esgoto no bairro, geração de empregos, segurança, lazer.

12h15s51 - Os moradores pediram ainda, ao presidente eleito, atendimento especial a crianças, idosos e portadores de deficiências especiais, além de cursos profissionalizantes.

12h16s25 - Lula diz que as pessoas que vivem ali precisam, ainda, de saúde, alimentação, sistema de tratamento e coleta de esgoto.

12h17s34 - Lula compara o governo a um filho, que demora um tempo para nascer, mais um tempo para andar. Ele diz que se compromete, "olhando no olho", a resolver os problemas que ele vê na vila Irmã Dulce.

12h18s52 - Lula diz que voltará ao Piauí, depois de uma ação combinada entre os governos federal, estadual e municipal, para ver o resultados e encontrar os moradores da favela Irmã Dulce vivendo com dignidade.

12h19s53 - Lula diz que espera que as pessoas estejam dispostas a ajudar a melhorar as condições de vida do povo e que tem fé em Deus de que as coisas vão melhorar.

12h21s13 - O presidente diz que queria visitar o semi-árido, para "conhecer a rudeza do sertão brasileiro nesta época do ano", mas para ir a Guariba, seria um gasto muito grande, "que pode ser usado para combater a fome".

12h22s21 - Lula diz ao governador Wellington Dias que, mesmo que o Piauí tenha ouro e diamante, sua principal riqueza é o povo e sua consciência política.

12h22s56 - Lula reforça seu compromisso de voltar à favela e se despede da população.

12h23s13 - Depois do discurso, Lula volta a dar autógrafos.

12h24s42 - Os ministros brasileiros deixam o palanque e se dirigem ao ônibus que os levará para um almoço com o governador do Piauí, Wellington Dias (PT).

12h26s10 - Os integrantes da equipe ministerial conversarão sobre o que viram antes de seguir viagem para Recife, às 15h30, onde visitarão a comunidade Brasília Teimosa.

12h27s06 - O presidente Lula se dirige ao ônibus, mas tem dificuldades em chegar, porque muitos moradores querem abraçá-lo e cumprimentá-lo.

12h27s45 - Lula é o primeiro presidente a visitar a vila Irmã Dulce.

12h29s39 - Policiais militares acompanham a entrada de Lula e Wellington Dias no ônibus. Eles partem agora para um almoço na sede do governo.

12h30s21 - Encerra-se aqui a visita de Lula à favela Irmã Dulce, a 15 quilômetros de Teresina, Piauí.

Redação Terra