inclusão de arquivo javascript

 
 

Morre o general Octávio Medeiros, ex-chefe do SNI

06 de setembro de 2005 03h09

Morreu nesta segunda-feira, em Brasília, o general-de-brigada da reserva Octávio Aguiar de Medeiros, chefe do extinto Serviço Nacional de Inteligência (SNI) durante os governos militares de Ernesto Geisel e João Figueiredo. Um dos principais condutores das reformas que fizeram do SNI o órgão de informação do regime militar, Medeiros faleceu aos 82 anos no Hospital Santa Lúcia, onde estava internado após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC).

Octávio de Medeiros assumiu a chefia do SNI em 1978, quando substituiu Figueiredo no cargo. Antes disso, em 1975, foi nomeado diretor da Escola Nacional de Informações, responsável por formar quadros para o SNI.

Na reta final da ditadura militar, Medeiros era cotado para a presidência, que acabou sendo entregue a Figueiredo, último chefe de Estado durante o regime iniciado em 1964. Sua possível candidatura acabou enfraquecida devido ao o atentado do Riocentro, em 1981, e à morte do jornalista Alexandre von Baumgarten, no ano seguinte.

No primeiro caso, duas bombas em poder de militares explodiram no centro de convenções do Riocentro, na véspera do dia do trabalho e durante um show comemorativo à data. A morte de Baumgarten trouxe suspeitas sobre suposta participação do general-de-brigada, pois o jornalista, antes de falecer, deixou um dossiê dizendo que, na hipótese de ser assassinado, o responsável seria o chefe do SNI na época. Medeiros deixou o SNI em 1985, para assumir o Comando Militar da Amazônia.

Redação Terra