inclusão de arquivo javascript

 
 

Mandante da morte de Chico Mendes: ele não valia nada

14 de dezembro de 2008 22h39 atualizado às 23h07

O homem condenado por ser o mandante da morte do sindicalista Chico Mendes, o fazendeiro Darly Alves da Silva, afirmou em entrevista concedida ao Fantástico que o seringueiro "não valia nada". Segundo ele, foi Chico Mendes "quem se matou" porque "mexeu com todo mundo".

» Viúva receberá pensão de R$ 3 mil
» Senado faz audiência sobre Chico Mendes
» Congresso lembra Chico Mendes
» vc repórter: mande fotos e notícias

O seringueiro foi morto em 1988, aos 44 anos, na porta de sua casa, após ter promovido uma intensa campanha contra fazendeiros pela preservação da floresta amazônica. Darly e o filho, Darcy, foram condenados a 19 anos de prisão pelo crime - como mandante e executor, respectivamente.

Após cumprirem a pena, eles voltaram a viver na cidade de Xapuri (AC). Darly argumentou que "matador não é quem puxa o dedo no gatilho", mas "quem provoca a morte".

Redação Terra