inclusão de arquivo javascript

 
 

Porta-voz: Yeda Crusius rompeu relações com vice

07 de junho de 2008 01h39

Um porta-voz da governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), disse, na noite de sexta-feira, que ela rompeu relações com o vice-governador Paulo Feijó. O motivo foi a divulgação de uma conversa telefônica dele com o chefe da Casa Civil do Estado, Cézar Busatto.

» PMDB repudia acusações de Busatto
» Vice-governador denuncia quadrilha
» Gravação de vice pode derrubar Busatto
» CPI: governo Yeda sangra o RS

"A curto prazo, ela não conversa com o vice-governador", disse o porta-voz de Yeda. Ele garantiu, também, que "por enquanto ninguém será demitido".

Na conversa, Busatto disse que o PP se beneficiaria no Detran e o PMDB, de financiamentos ilegais no Banrisul. A gravação foi feita no Palacinho, onde fica o gabinete do vice-governador, no dia 26 de maio.

A CPI do Detran-RS tem como objetivo investigar as fraudes no sistema de obtenção e renovação de carteiras de motoristas no Estado. De acordo com a Operação Rodin, da Polícia Federal, o grupo teria desviado R$ 44 milhões dos cofres públicos.

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou na última terça-feira ação de improbidade administrativa contra 51 pessoas (físicas e jurídicas), acusadas de envolvimento em fraude nos contratos de prestação de serviços ao Detran-RS pela Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência (Fatec) e Fundação para o Desenvolvimento e Aperfeiçoamento da Educação e da Cultura (Fundae). As duas são vinculadas à Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Muitas dessas pessoas já são réus no processo criminal aberto pelo MPF, junto à Justiça Federal. A ação foi protocolada na Justiça Federal de Santa Maria (RS).

Redação Terra