inclusão de arquivo javascript

 
 

Cantor Belo retorna à prisão por decisão judicial

13 de março de 2008 03h15 atualizado às 07h07

O cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, voltou para a cadeia nesta quarta-feira. Há nove meses em liberdade condicional, o pagodeiro foi obrigado a retornar ao Instituto Penal Cândido Mendes, no centro, por decisão da 8ª Câmara Criminal. Embora o regime semi-aberto tenha sido mantido, Belo só poderá sair da prisão depois de receber novas autorizações da Vara de Execuções Penais (VEP) para voltar ao trabalho, visitar a família e fazer shows. A namorada do cantor, a modelo Gracyanne Barbosa, terá que solicitar permissão para poder fazer visitas íntimas ao artista.

» Leia mais notícias do jornal O Dia

Cada saída da prisão, classificada como benefício, terá que ser pedida pela advogada do cantor, Sandra Almeida. "Estou triste, mas vida que segue. Belo já estava habituado à rotina em casa, mas ele vai encarar esse novo desafio", disse Stênio Madeira, produtor do cantor.

Por unanimidade, os desembargadores reformaram a sentença do juiz Carlos Eduardo Figueiredo, da Vara de Execuções Penais (VEP), que no ano passado havia determinado a extinção da condenação por tráfico de drogas, mantendo apenas a por associação para o tráfico. Com isso, a pena do artista foi reduzida pela metade - quatro anos -, o permitiu que ele ganhasse a liberdade condicional.

Para garantir a agenda de shows do pagodeiro, amanhã e sábado, em São Carlos e Ribeirão Preto, Interior de São Paulo, a defesa do cantor levará hoje à Justiça cópias dos contratos firmados com os organizadores. "Tínhamos anteriormente as autorizações, mas como tudo mudou, reapresentaremos os contratos e acreditamos que tudo será autorizado", afirmou Stênio.

Belo se apresentou ontem à juíza Cristina Goes, da VEP, às 16h54, no Tribunal de Justiça, antes mesmo que fosse expedido o mandado de prisão. Ao chegar, fez sinal de positivo com o polegar, mas não comentou a decisão. Segundo assessores, ele estava muito abalado com o retorno à prisão. Acompanhado de advogados e amigos, Belo ficou uma hora e meia em audiência com a juíza. Por volta das 18h30, foi levado à Polinter para assinar guia de recolhimento e ser conduzido à prisão.

Belo terá que ficar na unidade até comprovar que possui emprego fixo e que ocorra nova fiscalização da VEP na empresa que o contratará. O pagodeiro pode receber visitas, mas hoje só a mãe dele e a ex-mulher, a modelo Viviane Araújo, estão cadastradas. Gracyanne precisará tirar carteira de visitante e freqüentar curso para ter direito a encontros íntimos com o namorado.

Casamento adiado
A nova musa do cantor garante que ele será o centro de suas atenções. "Quando a gente gosta da pessoa, agüenta tudo. Se pudesse, estaria no lugar dele. Acho que seria mais fácil para mim enfrentar tudo isso", afirmou ela, que poderá adiar o plano de casar em novembro. "Mas não me faz desistir. Estávamos curtindo o nosso cantinho em Ipanema, mas serei forte. Vou levá-lo todos os dias no horário que ele terá de voltar para dormir onde quer que seja."

Viviane Araújo demonstrou solidariedade ao ex-marido. "Espero que ele resolva logo essa situação e volte à vida normal", disse ela, que após a prisão de Belo, em 2004, costumava fazer visitas e levar comida para ele.

Músicas e fotos com autoridades penitenciárias
Belo começou a ter problemas em 2002, quando investigação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) descobriu, por escutas telefônicas, negociação entre o cantor e o traficante Valdir Ferreira, o Vado, da favela do Jacarezinho, já morto.

Em dezembro, Belo estava no semi-aberto e participou de confraternização da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) na Fazenda Marambaia, colônia de férias da PM. Ele cantou e posou para fotos com o diretor de compras da Seap, coronel Ipurinan Calixto, e o secretário César Rubens Monteiro. Ontem, o secretário começou a pagar os fornecedores de alimentos que não recebiam há dois meses. "Uma parte dessa verba era do Detran, estávamos esperando que ela fosse liberada para poder pagar a todos os fornecedores", explicou.

O Dia
O Dia - © Copyright Editora O Dia S.A. - Para reprodução deste conteúdo, contate a Agência O Dia.