inclusão de arquivo javascript

 
 

Presidente Lula chama ministro Furlan de "mascate"

28 de novembro de 2003 21h34

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou o ministro do Desenvolvimento Luiz Fernando Furlan de "mascate" do governo. Lula contou que quando convidou o empresário para ser ministro falou o que pretendia e como seria a função.

O presidente disse que quando era pequeno costumava chegar um cidadão com uma sacola na porta da casa dele e as vezes a mãe e a irmã não queriam comprar mas acabavam aceitando. Depois de meia hora voltavam para dentro da casa com os "paninhos" que tinham comprado para pagar em prestações.

"Aí eu disse: Furlan você vai ser esse homem. Você vai botar os produtos do Brasil debaixo do braço e vai viajar esse mundo para vender, afinal de contas você aprendeu a fazer isso e vai ter que fazer", lembrou o presidente.

Luiz Inácio Lula da Silva disse que relação comercial é uma relação política, uma questão de confiança por isso o Brasil precisa se apresentar bem e saber vender os produtos nacionais. "Não é nem a arrogância nem a prepotência . É a sutileza da conversa. Isso é como arrumar uma namorada. Não adianta ser prepotente. Tem que usar o argumento certo, na hora certa." Para o presidente, hoje o Brasil é visto na América do Sul como parceiro dos outros países.

O presidente lembrou que no início de dezembro vai viajar para os países árabes e que o Brasil até agora não apresentava grande aproximação com a região. "O último chefe de estado brasileiro a ir a Beirute foi D. Pedro II", o que provocou risos na platéia de encerramento do 23º Encontro Nacional de Comércio Exterior. O presidente disse que isso é lamentável dado o número de integrantes da colônia árabe que mora no Brasil. "Até por uma questão de fineza o Brasil teria que ter uma relação mais próxima."

Agência Brasil