inclusão de arquivo javascript

 
 

Ex-escrivão da PF teria fábrica de munições no Rio

19 de dezembro de 2007 15h59 atualizado às 20h40

A Polícia Federal informou na tarde desta quarta-feira que o escrivão aposentado Cláudio de Souza Coelho mantinha uma fábrica clandestina de munições para atender traficantes do Comando Vermelho. Ele foi preso durante a Operação Toca, no Rio de Janeiro.

» Operação prende ex-escrivão
» Presos ex-escrivão e mais 7 no Rio
» vc repórter: mande fotos e notícias

O trabalho realizado hoje também resultou na prisão de outras cinco pessoas. Dois suspeitos já estavam detidos e um permanece foragido. Segundo as investigações, o escrivão era atirador e conseguia material para fabricar as munições em clubes de tiro.

De acordo com o superintendente da Polícia Federal Valdinho Caetano, o mesmo procedimento seria adotado pelo suspeito Marcelo Vicente Ferreira dos Santos, conhecido como Mister M. "Em razão da condição de atiradores, eles conseguiam esses insumos em campeonatos, porque tem pessoas que não utilizam em sua totalidade", destacou Caetano.

A Polícia Federal divulgou que grande quantidade de armas e munições foi apreendida. Os agentes recolheram pelo menos 41 armas, 1,7 mil cartuchos e 7 mil espoletas, além de 1 kg de pólvora e 2,5 kg de cocaína. Também foram encontrados cerca de R$ 9 mil e US$ 5 mil.

Redação Terra