inclusão de arquivo javascript

 
 

Para IML, mortos em ação em favela chegam a 15

20 de outubro de 2007 03h52 atualizado às 07h29

Segundo o Instituto Médico Legal (IML) do Rio de Janeiro, a operação da Polícia Civil na favela da Coréia, em Senador Câmara, na zona oeste, deixou um saldo de mortos maior que o divulgado. O IML acredita que foram 13 os supostos traficantes mortos na quarta-feira. A lista oficial da Secretaria de Segurança totaliza dez traficantes mortos. As informações são do jornal Folha de S.Paulo. Na ação, morreram ainda um policial e um menino de 4 anos. Pelos cálculos do instituto, portanto, morreram 15 pessoas.

» Operação deixa 12 mortos em favela
» Cabral: tráfico paga moradores
» Polícia será investigada pela ONU
» Rio: polícia matou 845 em 8 meses

De acordo com a Folha, a contabilidade do IML foi feita depois da perícia e liberação dos corpos para sepultamento.

Os registros das mortes (guias de óbito) de 11 dos 13 supostos traficantes mostram que eles morreram quase instantaneamente pois os tiros foram disparados contra cabeça, tórax ou barriga. Mesmo assim, os corpos foram levados para hospitais.

A secretaria informou ao jornal que oficialmente o que vale é o número de dez traficantes mortos. O órgão não deve liberar uma listagem de vítimas.

Para a secretaria, houve duas mortes na área da favela mas que não tiveram a participação de policiais. Não há informações sobre um possível corpo desaparecido.

Redação Terra