inclusão de arquivo javascript

 
 

PF apreende em SP avião que seria de traficante

20 de agosto de 2007 10h03 atualizado às 13h44

A aeronave seria do suposto traficante colombiano Gustavo Duran Bautista, detido no Uruguai. Foto: Divulgação

A aeronave seria do suposto traficante colombiano Gustavo Duran Bautista, detido no Uruguai
Foto: Divulgação

A Polícia Federal apreendeu nesta segunda-feira um helicóptero e um avião, de modelo não informado, no Aeroporto Campo de Marte, na capital de São Paulo. A apreensão faz parte da Operação São Francisco, cujo objetivo é prender pessoas ligadas ao suposto traficante colombiano Gustavo Duran Bautista, detido neste fim de semana, no Uruguai. Hoje, a PF também realizou buscas em Sorocaba e prendeu um suspeito em São Roque, no interior de São Paulo. A operação ocorre simultaneamente em São Paulo, Santa Catarina, Bahia, Rio Grande do Norte e Ceará.

» Veja mais fotos
» Uruguai: presos trabalhariam para Abadia
» vc repórter: mande fotos e notícias

O colombiano preso no Uruguai é suspeito de fazer parte de uma ramificação do Cartel do Norte do Valle, cujo líder, o também colombiano Juan Carlos Ramírez Abadia, foi preso no dia 7 de agosto em São Paulo. A PF, no entanto, nega a ligação entre os dois.

No sábado, a polícia antinarcóticos do Uruguai prendeu cinco colombianos e dois brasileiros na posse de 485 kg de cocaína. A droga, proveniente do Brasil, chegou ao Uruguai em um pequeno avião e foi descoberta após a aeronave fazer uma parada no departamento de Salto, a cerca de 500 km ao norte de Montevidéu.

De acordo com a imprensa uruguaia, os dois brasileiros detidos eram os pilotos do avião. O estabelecimento onde estavam havia sido comprado recentemente por colombianos.

A Operação São Francisco, resultado de quatro anos de investigações, conta com a cooperação internacional de oito países: Uruguai, Holanda, Bolívia, Inglaterra, França, Espanha Argentina e Paraguai.

A nova operação ocorreu duas semanas depois de a PF capturar Abadia, conhecido como Chupeta, em São Paulo. Abadia, que teve sua extradição solicitada pelo Estados Unidos, onde é processado por vários homicídios e por tráfico de drogas, é considerado um dos chefes do cartel Norte del Valle e estava escondido no Brasil há três anos.

Fontes da PF disseram que suspeitam que outros colombianos procurados estejam escondidos no país, como Diego León Montoya, o "Don Diego", outro dos chefes deste cartel. Segundo o superintendente da Polícia Federal em São Paulo, Jaber Saad, as autoridades investigam se outros três parceiros de Abadia estariam no Brasil.

A quadrilha
De acordo com a PF, os suspeitos fazem parte de um esquema criminoso em que narcotraficantes colombianos transportavam grande quantidade de entorpecente para a Europa. Para o transporte, seriam utilizadas empresas de exportação de frutas sediadas no Brasil e em outros países da América do Sul.

Gustavo Duran Bautista, preso no Uruguai, é empresário especializado no ramo de exportação de frutas, proprietário de três fazendas no Brasil e exterior. Ele seria o chefe da quadrilha e teria montado um verdadeiro império com o dinheiro obtido com o narcotráfico. Na Europa, também seria dono de empresas de importação e exportação.

Redação Terra