inclusão de arquivo javascript

 
 

Heloísa Helena vota contra reforma da Previdência

17 de outubro de 2003 01h34

Depois de ser informada pelos jornalistas que o PT fechou questão sobre a reforma da Previdência, a senadora Heloísa Helena (AL) confirmou sua intenção de votar contra a proposta do governo e contra a PEC paralela, sugerida pelo senador Tião Viana (AC) para incluir as mudanças no texto original.

"O PT não fechou questão hoje, fechou há tempo. Eu tenho obrigação de votar contra (a reforma) e quem me ensinou a votar contra foi o PT", explicou. A posição de Helena contra a reforma da Previdência nem é mais considerada como dissidência dentro do PT. "Nós temos um problema anterior que é o da senadora Heloísa Helena" lembrou o líder Viana.

O trabalho do PT agora, no entanto, não está mais direcionado a convencer Heloísa Helena, que já é dada como caso perdido dentro do partido. A preocupação, agora, é convencer os senadores Paulo Paim (RS) e Serys Slhessarenko (MT) a acompanharem a bancada na hora da votação em plenário. Na votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a senadora mato-grossense foi substituída por Ana Júlia Carepa (PA) para evitar que o partido não votasse unido na comissão.

Paim argumenta que precisa de uma solução para os temas da transição e da paridade entre ativos e inativos para votar com o PT. "Fiz uma demonstração de carinho e respeito à bancada indo à reunião, mas enquanto essas duas questões não estiverem resolvidas não tenho como acompanhar a bancada no momento", disse o senador gaúcho.

Já Serys, considera como avanços as mudanças feitas na questão dos inativos, mas ainda estuda sua posição. "Estou inclinada a votar favoravelmente, mas ainda não tomei minha decisão", explicou.

O objetivo da liderança no Senado é evitar que o constrangimento das votações na Câmara se repita. No primeiro turno, os deputados João Fontes (SE), Babá (PA) e Luciana Genro (RS) votaram contra a reforma e dez outros deputados se abstiveram de votar no texto encaminhado pelo presidente Lula.

No segundo turno, o deputado Walter Pinheiro (BA), que tinha registrado abstenção na votação anterior, votou contra a proposta. A expectativa do líder Viana é de que no Senado, além do voto contra de Heloísa Helena, o partido não seja surpreendido por nenhuma nova dissidência. "A nossa expectativa é de que esteja assegurado o compromisso assumido de unidade partidária", disse. O PT tem 13 senadores.

Agência Nordeste
Agência Nordeste - Copyright Agência Nordeste. Todos os direitos reservados.