inclusão de arquivo javascript

 
 

Mil pessoas protestam contra a violência no Rio

07 de abril de 2007 09h39 atualizado às 12h13

Manifestantes ficaram deitados no chão, no calçadão da praia, por cerca de 30 minutos. Foto: Fabio Nagel/Especial para Terra

Manifestantes ficaram deitados no chão, no calçadão da praia, por cerca de 30 minutos
Foto: Fabio Nagel/Especial para Terra

Cerca de mil pessoas protestam contra a violência nesta manhã na praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. Vestidos de preto, os manifestantes ficam deitados no chão, no calçadão da praia, por cerca de 30 minutos. Após o ato, um grupo de 400 pessoas saiu em passeata pela avenida Atlântica, ocupando parte da pista junto à praia.

» Veja mais fotos
» 700 cruzes são colocadas em Copacabana
» vc repórter: Mande fotos e notícias

O objetivo do protesto é simbolizar o número de pessoas vítimas da violência no Rio de Janeiro desde o início do ano. Os organizadores da manifestação são do grupo Rio de Paz, o mesmo que colocou 700 cruzes na areia de Copacabana no dia 17 de março.

Participaram do ato e da caminhada vários familiares de vítimas da violência, entre eles, Carlos Santiago e Cleide Prado Maia, pais da menina Gabriela, morta em 2003, durante assalto a uma estação do Metrô. Também estavam presentes os pais do menino João Hélio, Élson e Maria Cristina Vieites.

De acordo com o coordenador do movimento Rio de Paz, Antonio Carlos Costa, o objetivo da manifestação é chamar a atenção da sociedade civil para o alto índice de homicídios no Rio de Janeiro desde o início do ano. "Mil homicídios é demais. Inaceitável, não consigo imaginar francês americano, inglês convivendo com essa situação. Por que temos que cruzar os braços e assistir o faroeste de dentro de casa?", disse.

O vocalista do grupo Detonautas, Tico Santa Cruz, afirmou que o ato é uma tentativa de chamar a atenção dos políticos para que promovam ações para diminuir a violência do Rio.

Redação Terra