inclusão de arquivo javascript

 
 

Chefões vão para cadeia no Sul do País

06 de janeiro de 2007 05h11 atualizado às 05h12

Numa megaoperação, o governo do Estado - com participação da Marinha, Aeronáutica e Polícia Federal (PF) - transferiu 10 presos de Bangu 1 e dois de Bangu 3, presídios de segurança máxima no Complexo de Gericinó, para a penitenciária federal de Catanduvas, no Paraná. Eles ficarão no novo endereço por 120 dias. Os 12 são acusados de planejar a onda de ataques de 28 de dezembro, que resultou na morte de 19 pessoas em queima de ônibus e atentados contra delegacias e postos da Polícia Militar.

» Veja fotos dos ataques
» Chefes do tráfico do RJ são transferidos para isolamento
» RJ: tropas podem chegar hoje para evitar represálias do tráfico
» Veja vídeo da onda de ataques
» Opine sobre os ataques
» Entenda como funciona a Força Nacional

A operação foi, segundo a Secretaria de Segurança, a primeira ação integrada das forças do Estado em conjunto com as Forças Armadas. De acordo com o secretário, José Mariano Beltrame, as investigações mostram que os chefões das facções criminosas Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando (TC) arquitetaram os crimes. "Temos fortes indícios para apontá-los como os mentores dos ataques", disse Mariano.

A megaoperação começou por volta das 15h de ontem, quando o helicóptero Super-Puma, com 18 assentos, saiu da base de São Pedro D'Aldeia e aterrissou no Complexo de Gericinó.

Nele embarcaram Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP, 30 anos; Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, 40; Márcio Cândido da Silva, o Porca Russa, 40; Robson André da Silva, o Robinho Pinga, 32; Ricardo Chaves de Castro Lima, o Fu da Mineira, 35; Cláudio José de Souza Fontarigo, o Claudinho da Mineira, 36; Leonardo Marques da Silva, o Sapinho, 36; Charles Silva Batista, o Charles do Lixão, 36; Márcio José Guimarães, o Tchaca, 40; e Isaías da Costa Rodrigues, o Isaías do Borel, todos de Bangu 1. Depois, foi a vez de Marcos Antônio Ferreira Firmino da Silva, o My Thor, 37, e Marcus Vinicius da Silva, o Lambari, de Bangu 3. O helicóptero da Marinha, escoltado por duas outras aeronaves, uma da PM e outra da Polícia Civil, foi até a Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador. Os presos decolaram rumo a Catanduvas em dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) por volta das 17h20.

Inimigos lado a lado

Inimigos no tráfico, Marcinho VP, do CV, e Robinho Pinga, do TC, foram obrigados a se sentar lado a lado numa aeronave. A escolta nos aviões foi de 20 agentes do Comando de Operações Táticas - tropa de elite da PF -, cujos integrantes são tão especializados que dão instruções à Força Nacional de Segurança. Eles chegaram de Brasília quinta-feira.

O Dia
O Dia - © Copyright Editora O Dia S.A. - Para reprodução deste conteúdo, contate a Agência O Dia.