inclusão de arquivo javascript

 
 

Preso vereador acusado de linchamento na Paraíba

11 de outubro de 2006 20h41

O presidente da Câmara dos Vereadores da cidade de Baraúna, na Paraíba, Reginaldo Rodrigues de Lima, 35 anos, está preso sob acusação de comandar a invasão à delegacia de Picuí, que culminou com o linchamento de um preso que, depois de morto, foi queimado na rua.

Também estão presos Hélio Ferreira de Lima, 49 anos, José Antônio da Silva Santos, 25 anos, José Leonilson Feitosa da Silva, João Barros Batista, 47 anos, e Joan Sales Nascimento, 22 anos. Eles são acusados de promoverem o arrombamento da parede que deu acesso à cela onde estava o preso, matarem o detendo a pauladas e pedradas, além de atearem fogo no corpo da vítima.

O fato aconteceu na noite do dia 19 de junho, pouco depois da polícia prender Severino Casimiro da Silva, 41 anos, acusado de matar e esquartejar José dos Santos Nascimento, oito dias antes. O assassinato de Nascimento provocou revolta entre os moradores da região, uma vez que o crime foi praticado com requintes de crueldade, motivado por uma dívida de R$ 200, proveniente de um boi que Silva tinha vendido para ele.

Após matar Nascimento com cinco tiros, Silva pegou um machado e partiu o corpo de sua vítima em pequenos pedaços. O corpo de Nascimento só foi identificado após a realização de um exame de DNA, feito pelo Instituto de Polícia Científica (IPC).

Segundo a polícia, também foi o exame que confirmou a autoria do crime, através de vestígios das mãos de Silva que foram deixados no machado.

A ação do vereador teria ocorrido a partir do incentivo aos manifestantes para invadir a delegacia. O preso foi morto a pedradas e pauladas e, depois, teve o corpo queimado na rua. Foi graças a uma filmagem feita pela polícia que todos os envolvidos foram identificados. Outras pessoas ainda deverão ser presas também por determinação da Justiça.

Redação Terra