inclusão de arquivo javascript

 
 

Bruno Maranhão, líder do MLST, é preso após invasão

06 de junho de 2006 17h57 atualizado às 18h29

Bruno Maranhão, líder do MLST, durante a invasão dos manifestantes na Câmara . Foto: Agência Câmara/Divulgação

Bruno Maranhão, líder do MLST, durante a invasão dos manifestantes na Câmara
Foto: Agência Câmara/Divulgação

O principal líder do Movimento da Libertação dos Sem Terra, Bruno Maranhão, foi preso pelo BOPE (Batalhão de Operações Especiais) na frente do Congresso Nacional. Maranhão coordenou a entrada à força de um grupo de cerca de mil militantes na Câmara dos Deputados nesta terça-feira. Outros manifestantes tiveram os ônibus interceptados, quando tentavam voltar para casa, e também foram presos.

» Sem-terra promovem quebra-quebra na Câmara
» Veja fotos da invasão
» Segurança ferido em invasão está em coma induzido
» Carta para Aldo diz que MLST faria "visita surpresa"
» Aldo dá ordem de prisão a manifestantes na CâmaraI
» Manifestante diz que violência partiu dos seguranças
» Opine sobre o protesto

Ao ser detido, Bruno jogou-se no chão, alegando estar passando por problemas de saúde. No total, 100 homens do BOPE e 300 policiais militares fazem a guarda na frente do Congresso Nacional.

O grupo do MLST entrou em confronto com a segurança da Câmara ao serem impedidos de entrar. Mais de vinte feridos, vidros, vasos e um carro virado foram o saldo até agora da "invasão".

Os líderes reinvidicavam, principalmente a revogação da lei que proíbe vistorias em terras ocupadas e a votação imediata da PEC do trabalho escravo. O movimento é uma dissidência do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST).

Redação Terra