Nhá Chica será beatificada neste sábado no interior de Minas Gerais

4 mai 2013
08h59 atualizado às 14h52
0comentários
08h59 atualizado às 14h52
Publicidade

A filha de escravos Francisca de Paula de Jesus, ou "Nhá Chica", como é carinhosamente chamada por seus fiéis, se tornará beata neste sábado em cerimônia que deverá atrair cerca de 60 mil católicos à pequena cidade de Baependi (MG). A missa de beatificação será presidida pelo prefeito da Congregação para a Causa dos Santos no Vaticano, cardeal Angelo Amato.

A cerimônia também será acompanhada pelo presidente da CNBB, Raymundo Damasceno, assim como bispos e religiosos de várias dioceses de Minas Gerais.

O Brasil já conta com dois santos (Frei Galvão e Madre Paulina, nascida na Itália), e mais de 30 beatos. A eles se junta a mulher que é considerada por muitos mineiros a "mãe dos pobres", e que durante o século XIX, ainda em vida, chegou a ser tratada como santa. O processo para reconhecer os milagres de Nhá Chica foi iniciado em 1989, quase 100 anos após sua morte, e sua beatificação foi determinada em junho do ano passado, pelo então papa Bento XVI.

A futura beata nasceu em 1808, em São João del-Rei, também em Minas Gerais, de uma família de escravos, tendo ficado órfã aos 10 anos. Apesar de ter herdado a fortuna de um irmão, Nhá Chica renunciou aos bens e riquezas, distribuindo-as entre os pobres, além de possibilitar a construção de uma capela dedicada à Imaculada Conceição, onde hoje está seu santuário.

Nhá Chica conquistou milhares de devotos nos últimos anos
Nhá Chica conquistou milhares de devotos nos últimos anos
Foto: Associação Beneficente Nhá Chica / Divulgação

Embora não tenha optado pela vida religiosa, a futura beata preferiu nunca se casar para dedicar sua vida a caridade e oração, até sua morte, em 14 de junho de 1885. Em 1991, o papa João Paulo II concedeu para Nhá Chica o título de "Serva de Deus", e em 2007 a Congregação para a Causa dos Santos começou a analisar um dos milagres que milhares de fiéis lhe atribuem: a cura de uma professora da cidade mineira de Caxambu.

O processo de beatificação é o primeiro passo antes da canonização, mas para que a brasileira possa ser declarada santa, o Vaticano tem que confirmar outros dois milagres. Neste sábado pela manhã, está prevista a realização de uma missa solene na igreja matriz de Baependi. À tarde, será a vez da cerimônia de beatificação, em um local aberto ao público, próximo ao principal acesso à cidade.

No domingo também está marcada uma celebração na igreja matriz, além de uma missa de ação de graças no local da beatificação e uma procissão até o santuário da Imaculada Conceição.

EFE   
Publicidade
Publicidade