0

Ministro: combustível era secundário em reunião com Obama

15 mar 2009
19h38
atualizado às 19h46

Elaine Lina

Direto de Nova York


O assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, ministro Marco Aurélio Garcia, disse criticou neste domingo uma parte da imprensa que teria dado como negativo o fato de não terem sido fechados acordos sobre a taxa de importação de combustíveis na reunião entre o presidente americano Barack Obama e Luís Inácio Lula da Silva, ocorrida no último sábado.

"Na minha avaliação, uma parte da imprensa priorizou um aspecto secundário, o fato de que sábado não se decidiu sobre o corte da alíquota de exportação e importação dos biocombustíveis. É evidente que não seria num sábado, no Salão Oval, que essa questão iria se resolver", disse Marco Aurélio, sobre a expectativa gerada de que se decidisse algo no encontro entre Obama e Lula.

Marco Aurélio disse que os investidores e todos os que vão participar do Seminário "Brasil: Parceiro Global na Nova Economia", nesta segunda-feira, em Nova York, ouvirão um discurso muito bom do presidente Lula.

O presidente brasileiro permanece em Nova York até segunda-feira com os ministros Dilma Rousseff, Guido Mantega, Henrique Meirelles, Celso Amorim e Marco Aurélio Garcia, quando então a comitiva retorna para o Brasil.

Fonte: Especial para Terra
publicidade