0

Mãe é acusada de tentar matar bebê com tesoura em GO

19 mar 2009
13h30
atualizado às 19h35

Márcio Leijoto

Ivonete sofre de problemas mentais, segundo depoimento de familiares à polícia
Ivonete sofre de problemas mentais, segundo depoimento de familiares à polícia
Foto: O Popular / Futura Press

Direto de Goiânia


A vendedora autônoma Ivonete Fonseca Lima de Moraes, 28 anos, foi presa em flagrante na madrugada desta quinta-feira, no Jardim Novo Mundo, em Goiânia (GO), após desferir três golpes de tesoura na filha de 9 meses. A criança teve o pulmão perfurado e foi levada em estado grave para o Hospital das Clínicas (HC).

Ivonete sofre de problemas mentais, segundo familiares disseram a polícia. Ela teria tido alta médica há 20 dias de uma clínica psiquiátrica. De acordo com a polícia, a vendedora teria dito que iria matar a criança por ordem de Deus. "Ela precisa passar por avaliação médica especializada para se comprovar ou não que sofre de distúrbios mentais", afirmou o delegado Rodrigo Luiz Jayme, adjunto da Delegacia da Mulher.

Foi o marido da vendedora quem chamou a polícia. Ele assistia a um programa de TV na sala por volta de meia-noite, quando viu a esposa passar com o bebê no colo em direção ao banheiro. Depois, ouviu o choro da criança. Foi até a porta do banheiro, que estava trancada. Como a esposa se recusou a abri-la, ele a arrombou.

Ao entrar no banheiro, ele encontrou o bebê ensangüentado ainda no colo da mãe, que segurava uma tesoura. Quando os policiais chegaram, Ivonete era contida pelo marido. Uma ambulância do Samu chegou no mesmo instante e socorreu o bebê.

O bebê sofreu escoriações no pescoço e três perfurações no tórax, sendo que uma delas atingiu o pulmão. Segundo a assessoria de comunicação do Hospital das Clínicas, o estado de saúde da criança é grave, mas estável. A criança será encaminhada para uma UTI pediátrica em outro hospital.

A mãe está detida na Delegacia da Mulher, onde foi autuada em flagrante por tentativa de homicídio. Ela será encaminhada para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), onde deverá ser ouvida formalmente pelo delegado.

Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade