0

Japonês que rejeitou virgem brasileira: 'não valia'

Japonês desistiu de Catarina após conhecê-la: "Catarina foi rude com ele e só falava na forma de pagamento. Ele não achou que ela valia o dinheiro. Natsu não gostou da atitude"

11 ago 2014
17h14
atualizado em 12/8/2014 às 10h58
  • separator
  • 0
  • comentários

<p>A catarinense Ingrid Migliorini ficou conhecida por leiloar a virgindade para um documentário</p>
A catarinense Ingrid Migliorini ficou conhecida por leiloar a virgindade para um documentário
Foto: Reprodução
O leilão da virgindade da brasileira Catarina Migliorini ficou famoso mundialmente e ganhou outros capítulos após o japonês Natsu, que ofereceu R$ 1,5 milhão (US$ 780 mil) pelo dote da moça se recusar a consumar o ato ao afirmar ter se arrependido do investimento. O Terra conversou com exclusividade com o diretor do documentário Virgins Wanted (Procura-se Virgens), Justin Sisely, que falou sobre o caso da virgem brasileira e os desdobramento do documentário que será exibido pela primeira vez em um festival em Nova York nesta semana.

Segundo o diretor australiano, o japonês esperava encontrar uma virgem doce, meiga e ingênua, mas a realidade se mostrou diferente no jantar que reuniu Catarina e o vencedor do leilão online, em Sydney. “Catarina foi rude com ele e só falava na forma de pagamento. Ele não achou que ela valia o dinheiro (...). Natsu não gostou da atitude dela. Ele já tinha organizado um cheque administrativo, mas ela insistia em dinheiro vivo. O homem é um bilionário; poderia ter a garota que quisesse. Catarina não foi nada agradável e ele desistiu. Cada um tem o que merece”, alfinetou Sisely.

Tudo será visto no documentário, garante o diretor, que filmou o encontro e gravou entrevista com o japonês. “Se a Catarina estivesse menos preocupada com sua imagem ou com a discussão dos detalhes de como a noite aconteceria, o resultado teria sido melhor para ela”, avalia o australiano.

Sisely e a brasileira não conversam desde o encerramento das filmagens, em dezembro de 2012. “Catarina ficou revoltada porque as coisas não terminaram bem para ela e acho que me culpa por isso. Ela perdeu tudo pelo qual trabalhou, mas para mim não faz diferença. Ela determinou seu próprio destino”, analisa Sisely.

Outro protagonista do documentário, o russo Alex Stepanov teve sua primeira vez aos 23 anos com a vencedora do leilão, 12 dias após o anúncio do resultado. Com uma garrafa de champanhe e numa cama coberta de pétalas de rosas em formato de coração, Alex esperava nervoso pela chegada da primeira mulher de sua vida, em um hotel em Sydney.

Russo que leiloou a virgindade encontra dona de melhor lance
Conhecida como Kassandra Darlinghurst, a australiana da cidade de Melbourne explicou que decidiu participar do leilão para dar a Alex uma chance de decidir o que ele realmente gostaria de fazer sobre sua primeira experiência sexual. “Não acho que ele deveria perder a virgindade apenas por dinheiro. Ele precisava querer, por uma noite só ou para um relacionamento”, declarou Kassandra, que ofereceu US$ 2,6 mil (cerca de R$ 5,9 mil) pela virgindade do rapaz.

Sisely comemora o resultado do trabalho que iniciou há seis anos, quando começou a recrutar virgens para o documentário. “O filme está muito melhor do que eu poderia esperar. Estou muito feliz”, relata o diretor. Virgins Wanted foi dividido em seis episódios com meia hora de duração cada.

O australiano aposta, ainda, na comercialização mundial do filme. “É um reality-show sem nenhum roteiro, nada armado. Apenas seguimos os acontecimentos. Os conservadores vão considerar um mau exemplo, mas a maioria vai achar divertido, às vezes até engraçado”, conclui o diretor, que agora trabalha no projeto Suicides Wanted (Procura-se Suicídios).

A virgem brasileira
A catarinense Ingrid Migliorini ficou conhecida por leiloar a virgindade para um documentário - o que acabou não se concretizando. A jovem alegou que o autor do Virgins Wanted e ela tiveram um desacordo que impediu que expusesse sua primeira relação sexual. Apesar disso, a fama lhe rendeu um ensaio para a revista Playboy, em janeiro de 2013.

No mesmo ano, em um novo site, Catarina voltou a colocar sua primeira vez à venda, mas dessa vez por conta própria, com lance mínimo estipulado em US$ 100 mil. A jovem, no entanto, desistiu novamente do leilão. 

Documentário relata leilão de virgindade de brasileira

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade