Brasil

publicidade
15 de agosto de 2012 • 11h27 • atualizado às 12h11

Itamaraty acompanha caso de queimados vivos na Bolívia

 

O Ministério das Relações Exteriores - Itamaraty - informou que o Consulado do Brasil em Santa Cruz de La Sierra acompanha o caso dos dois brasileiros queimados vivos na Bolívia desde que eles foram presos. O órgão prepara um relatório sobre o episódio. As informações, segundo o Itamaraty, ainda estão sendo levantadas.

Rafael Dias e Jefferson Max de Castro Lima foram mortos nesta terça-feira em San Matías, na fronteira da Bolívia com o Brasil, próxima a Mato Grosso. Acusados de triplo assassinato, eles foram retirados à força da cela na qual estavam na delegacia da cidade por uma multidão de moradores.

De acordo com a imprensa boliviana, a população invadiu a delegacia e levou os brasileiros para a rua. Os manifestantes jogaram gasolina em Dias e Lima e depois atearam fogo. Eles foram queimados vivos.

A fúria da população de San Matías começou depois do chefe de polícia da cidade, Edwin Rojas, informar que Rafael Dias disparou contra os bolivianos Pablo Parava, Wanderley Costa e Edgar Suárez após uma discussão. Jefferson foi preso suspeito de ser cúmplice do triplo homicídio.

A multidão também incendiou um carro que estava perto da delegacia de polícia por desconfiar que pertencia aos brasileiros. De acordo com as autoridades de San Matías foi impossível conter os manifestantes, pois há poucos policiais na região.

Agência Brasil