inclusão de arquivo javascript

 
 

PSDB anuncia Alckmin como candidato do partido

14 de março de 2006 16h57 atualizado às 23h56

Alckmin discursa após ser anunciado como candidato. Foto: Marcelo Pereira/Terra

Alckmin discursa após ser anunciado como candidato
Foto: Marcelo Pereira/Terra

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi o indicado do PSDB para concorrer à Presidência da República nas eleições de outubro. A decisão foi anunciada nesta terça-feira pelo presidente nacional do partido, Tasso Jereissati, após reunião da cúpula partidária com governadores no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.

  • Veja mais fotos do anúncio
  • Vídeo: PSDB anuncia candidato
  • Alckmin promete "banho de ética" para o Brasil
  • Em nota, Serra apóia candidatura de Alckmin
  • Alckmin vence Serra com atitude mais agressiva
  • Saiba mais sobre Alckmin
  • Opine sobre a escolha do candidato do PSDB

    Em seu discurso após ser indicado, Alckmin afirmou que a sua candidatura inicia uma grande marcha pela modificação, "para ser o instrumento do povo para a mudança". "O Brasil não agüenta mais essa onda de corrupção que assolou o País. Não tenho dúvida que é com humildade, entusiasmo, energia, determinação que vamos iniciar uma grande jornada", afirmou.

    Alckmin disse ainda que o partido terá a firmeza necessária para empunhar a bandeira "do crescimento, do emprego, da renda, do salário e da ética". "Banho de ética nesse País", disse Alckmin. "Eu rogo a Deus para que uma luz se acenda na consciência de cada cidadão pra que possamos efetivamente mudar", finalizou o agora candidato do PSDB à Presidência da República.

    Jereissati se dirigiu ao prefeito de São Paulo, José Serra, que não esteve presente ao encontro, dizendo que ele teria todas as condições de concorrer à Presidência. Entretanto, segundo Jereissati, Serra abriu mão da candidatura certo de que o PSDB terá um candidato forte e não se permitirá mais ficar "à mercê dos petistas".

    O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, também elogiou Serra e ressaltou que a escolha por Alckmin respeitou um interesse maior do País e a responsabilidade com a unidade do PSDB. Ele se referiu a Serra com admiração e disse que ele estará à frente da campanha, apesar de não ser candidato.

  • Redação Terra