inclusão de arquivo javascript

 
 

Pastor que engravidou menina diz que assume filho

14 de março de 2006 13h46

O pastor acusado de violentar e engravidar uma garota de apenas 12 anos dentro de um templo da Igreja Universal do Reino de Deus, em Franca, interior de São Paulo, entrou em contato com Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade para se defender. Segundo a delegada Graciela de Lourdes David Ambrósio, ele alegou que teve um caso com a garota, sendo que o relacionamento teria sido consentido por ela. O homem prometeu assumir todas as responsabilidades da paternidade do filho da menina.

Alexandre Cardoso Guimarães, 27 anos, alega que não sabia que a menina estava grávida. A criança nasceu há duas semanas.

O pastor foi denunciado por atacar a menina dentro da própria igreja, no Jardim Redentor, mas não teria conseguido manter relação sexual completa com ela. A garota, que trabalhava na igreja, ficou grávida mesmo assim.

Guimarães contou que não é mais pastor da Igreja Universal, tendo sido afastado assim que seus superiores souberam do ocorrido. Ele contou que está morando em Caraguatatuba, litoral norte de São Paulo, e continua freqüentando a igreja.

A delegada informou que ele deverá responder por estupro, pois a garota tinha menos de 12 anos e aguarda apenas o seu depoimento para finalizar o inquérito e encaminhar para a apreciação da Justiça.

Redação Terra