inclusão de arquivo javascript

 
 

Cirurgião confessa ter esquartejado ex-amante

28 de janeiro de 2003 15h44 atualizado às 20h57

O cirurgião plástico Farah Jorge Farah, 53, confessou, em depoimento à Polícia Civil, ter esquartejado a dona-de-casa Maria do Carmo Alves, na sexta-feira, em São Paulo, mas disse não se lembrar das circunstâncias do crime. A pedido do delegado do 13º Distrito Policial (Casa Verde) Ítalo Miranda Júnior o juiz da 2ª Vara do Júri, Marco Antonio Martin Vargas, decretou a prisão preventiva do médico que ficará no distrito policial até o julgamento. O delegado tem 10 dias para preparar o inquérito. O depoimento de hoje foi acompanhado por um promotor e três advogados de defesa.

Miranda Júnior afirmou, após o depoimento, que o cirurgião plástico disse conhecer a vítima há cerca de quatro anos, e não 20 anos, como havia sido divulgado anteriormente. Farah e a vítima teriam tido uma relação amorosa, mas eram amigos e freqüentavam a mesma igreja.

Em seu depoimento, ele disse que Maria do Carmo teria tentado agredi-lo com uma faca e ele, por sua vez, reagiu. A suposta arma do crime não foi localizada.

Leila Marlene, amiga e paciente do médico Farah Jorge Farah, chegou, no final da tarde, na DP. Ela disse que foi prestar solidariedade ao cirurgião e explicou que Maria do Carmo extorquia o médico. Leila disse que Maria do Carmo levava outras amigas para a clínica para a realização de cirurgias e que ninguém pagava pelas operações.

Pela manhã, o porteiro João Augusto de Lima, marido de Maria do Carmo disse que ela não era amante do médico. Lima já havia afirmado que o cirurgião conhecia a mulher há apenas quatro anos. A Globonews informou que, de acordo com Lima, Farah fez três cirurgias plásticas em Maria do Carmo e afirmou que foi até a clínica na tarde de sábado em busca de informações. Lá, ele foi recebido pelo cirurgião que, abrindo apenas uma fresta da porta, negou ter visto a mulher.

O médico que confessou o crime a uma sobrinha se internou no sábado, na Clínica de Repouso Parque Julieta, em Santo Amaro. Os pedaços do corpo da vítima foram encontrados no porta-malas do carro do médico em vários sacos plásticos. A pele do rosto foi retirada e as mãos não foram encontradas.

Na noite de ontem, o médico foi transferido para a delegacia do bairro Casa Verde, onde está preso por ordem da Justiça. Em depoimento informal, Farah disse que já havia sido ameaçado pela ex-namorada e que ocorrências policiais registradas comprovariam a declaração.

Redação Terra