inclusão de arquivo javascript

 
 

Conselho confronta deputada que considera repulsa a doentes normal

23 de dezembro de 2005 07h09 atualizado às 09h02

O Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência (Conade) apresentou uma moção de repúdio contra a deputada Denise Frossard (PPS-RJ). Relatora de um projeto de lei que torna crime a discriminação por doença, Frossard afirmou que "a repulsa à doença é instintiva no ser humano", e que "poucas pessoas sentem prazer em apertar a mão de uma pessoa portadora de lepra ou aids".

» Fórum: opine sobre as declarações da deputada

As declarações foram apresentadas no voto de rejeição ao projeto 5.448/2001 e causaram indignação entre os membros do Conade, ligado à Secretaria Especial de Direitos Humanos. O conselho considerou "desvario" um dos trechos do parecer da deputada, o qual afirma que "a deformidade física fere o senso estético do ser humano. A exposição em público de chagas e aleijões produz asco nos outros".

"O conselho entendeu que as cerca de 24,5 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência e suas famílias foram atingidas em sua dignidade pelas palavras da deputada", afirmou ao Globo o presidente do Conade, Adilson Ventura.

Informada sobre a má impressão deixada pelas declarações, Frossard apresentou em sua página pessoal uma carta afirmando que deve "um pedido de desculpas às pessoas que, involuntariamente, terminei por agredir com as palavras que utilizei nos relatórios para identificar um comportamento presente na sociedade brasileira."

Ela acrescenta ainda que tentará corrigir o erro: "Um bom caminho para a correção, entendo, será ouvir mais as pessoas que atuam neste segmento e a partir de um debate consistente colaborar para tornar melhor a vida de quem tem deficiência."

Redação Terra