inclusão de arquivo javascript

 
 

Brasileiro pode pegar 256 anos por pedofilia

23 de julho de 2005 15h31 atualizado às 16h23

O professor de artes marciais Anderson Luiz Costa, acusado de distribuir material de pornografia infantil pela internet, pode ser condenado a até 256 anos de cadeia. Essa é a pena prevista na denúncia apresentada hoje pelo Ministério Público Federal.

Costa foi preso há um ano durante a operação Anjo da Guarda da Polícia Federal iniciada após a descoberta por autoridades da Espanha de que o Brasil era a origem de material pornográfico com crianças enviado para sites espanhóis.

A PF encontrou na casa do professor em Volta Redonda, no Estado do Rio de Janeiro, 167 CDs com cerca de 250 mil imagens de sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes. De acordo com a perícia, o acusado aparecia em algumas cenas, abusando dos menores. Costa nega as acusações e diz que jamais abusou de crianças.

Prisão
Na sexta-feira, o médico Fabio Roberto dos Santos Bertini, 30 anos, foi condenado a 62 anos de prisão por ter abusado sexualmente de sete crianças com idades entre 8 e 13 anos. Os crimes ocorreram em 2002 em São Vicente, no litoral de São Paulo.

AP - Copyright 2007 Associated Press. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.