inclusão de arquivo javascript

 
 

STJ concede habeas-corpus a Suzane von Richthofen

28 de junho de 2005 19h38 atualizado em 24 de abril de 2006 às 10h56

Suzane é acusada de planejar a morte dos pais. Foto: Terra

Suzane é acusada de planejar a morte dos pais
Foto: Terra

O Superior Tribunal de Justiça concedeu habeas-corpus nesta terça-feira à estudante Suzane Louise von Richthofen, acusada de planejar o assassinato dos pais, cometido pelo então namorado e o irmão dele no dia 31 de outubro de 2002, em São Paulo. A estudante, que está presa no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, deixará a prisão nesta quarta-feira, quando o juiz do 1º Tribunal do Júri, onde corre o processo, expedirá o alvará de soltura, informou a defesa de Suzane.

  • Veja a cronologia da morte
  • Opine sobre o assunto

    Segundo os ministros do STJ, Suzane deve responder ao processo em liberdade por não haver fundamentação para a prisão temporária ou preventiva da estudante, que ainda não foi julgada no tribunal de Justiça de São Paulo.

    A defesa de Suzane alegou que o Tribunal de Justiça de São Paulo não se manifestou sobre a legalidade da prisão preventiva ao reconhecer a existência de crime e de indícios suficientes contra Suzane. A defesa também disse que como a estudante é ré primária e tem bons antecedentes, não representará perigo à ordem e nem criará obstáculos à aplicação da lei se estiver em liberdade.

    Suzane é acusada ser a mentora intelectual do assassinato dos seus pais, o engenheiro Manfred von Richthofen e de sua mulher, a psiquiatra Marísia. O casal foi morto a pauladas por Daniel Cravinhos de Paula e Silva, namorado de Suzane, e o irmão dele, Cristian. O motivo teria sido a proibição do namoro de Suzane e Daniel.

  • Redação Terra