inclusão de arquivo javascript

 
 

Morte de suspeito de tráfico fecha comércio em cidade do Rio

24 de agosto de 2009 12h21

Anderson Ramos

Direto do Rio de Janeiro


Em protesto pela morte do suposto traficante João Soares de Lima Filho, o Joãozinho da Vila Ideal, manifestantes ordenaram que comerciantes fechassem as portas no centro de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro. Segundo a polícia, Joãozinho seria sócio do suspeito de tráfico de drogas Charles do Lixão e braço-direito do traficante Fernandinho Beira-Mar. A polícia reforçou a segurança no local com o batalhão de choque.

Joãozinho foi morto no domingo por policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) durante operação na favela Vila Ideal. Dois suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas também morreram na ação.

O homem seria o responsável pelo tráfico de cocaína e maconha nas favelas de Vila Ideal, Lixão e Mangueirinha, todas em Duque de Caxias. Ele também é apontado pela policia como a pessoa que abastecia o tráfico nas favelas Forquim Mendes e Vigário Geral, no bairro do Jardim América, zona norte do Rio.

Sérgio Norberto, gerente de um estabelecimento comercial no centro de Duque de Caxias, disse que o clima é de guerra. Segundo ele, a todo momento são ouvidos morteiros e fogos e há correria no local. De acordo com Sérgio, a polícia está no centro do município, inclusive com homens do batalhão de choque. O comércio está totalmente fechado, inclusive bancos e supermercados.

Joãozinho será enterrado às 12h, no cemitério do Corte Oito, em Duque de Caxias. A PM reforçou a segurança em volta do cemitério e em todos os acessos ao município.

Redação Terra