inclusão de arquivo javascript

 
 

Presidente do TJ-RJ: fui surpreendido com avião com presos

29 de julho de 2009 15h04

Anderson Ramos

Direto do Rio de Janeiro


O presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), desembargador Luiz Zveiter, comentou nesta quarta-feira a decisão de impedir o desembarque de quatro presos do Presídio de Segurança Máxima de Catanduvas, no Paraná, no aeroporto do Rio de Janeiro. Segundo Zveiter, a Justiça Federal do Paraná não avisou sobre a chegada dos presos. "Nós fomos surpreendidos pelo anúncio da vinda dos apenados", disse o desembargador.

A Justiça Federal havia determinado a transferência de sete detentos do presídio de Catanduvas para o Rio. Zveiter afirmou que o que houve foi uma divergência jurídica e "por mais confusão que tenhamos nesse caso, quem sai ganhando é a população do Rio de Janeiro". O desembargador disse também que o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu uma liminar em favor do TJ do Rio na questão.

"Soube através de uma jornalista que o avião estaria voando para o Rio com os presidiários. Imediatamente, tomei a atitude de comunicar o fato ao governador do Estado do Rio de Janeiro, que me informou que os presos, de acordo com investigações da Secretaria de Segurança Pública ainda tinham exercem influências nas organizações criminosas do Estado", disse.

Estavam no avião os presos Marco Antônio Pereira Firmino da Silva, conhecido como My Thor; Isaías da Costa Rodrigues, o Isaías do Borel; Ricardo Chaves de Castro Lima, o Fú da Mineira; e de Marcos Vinícius de Oliveira, chamado de Lambari.

Redação Terra