inclusão de arquivo javascript

 
 

Grupo faz manifestação no Rio por brasileiro sumido na África

28 de julho de 2009 11h39 atualizado às 12h10

Amigos e parentes de Gabriel Buchmann fazem oração na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Foto: Osvaldo Praddo/O Dia

Amigos e parentes de Gabriel Buchmann fazem oração na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro
Foto: Osvaldo Praddo/O Dia

Amigos e parentes do brasileiro Gabriel Buchmann, 28 anos, que desapareceu há 11 dias em uma montanha do Malauí, no sul da África, fizeram uma manifestação na manhã desta terça-feira, em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro. O protesto foi organizado no cruzamento da rua Mária Quitéria com a avenida Vieira Souto.

O brasileiro desapareceu em uma trilha no monte Mulanje no último dia 17, depois de se separar do guia. Equipes de resgate com cerca de 60 pessoas vasculham a região. Na última quinta-feira, um helicóptero disponibilizado pelo governo brasileiro sobrevoou a área. Até o momento, foi encontrada apenas a mochila, com dinheiro, cartão de crédito e o passaporte do brasileiro numa das trilhas cheias de cavernas.

"Ele deve ter se assustado com o mau tempo, tentado descer e ter pego uma rota errada. Acredito que esteja perdido e até ferido", disse a namorada, Cristina Reis, que embarca hoje para o Malauí.

Na segunda-feira, um grupo de sete canadenses especializados em resgates anunciou que vai ajudar nas buscas ao brasileiro. Os voluntários, especialistas em salvamento, vão se juntar às equipes de buscas por terra. A família de Buchmann está tentando arrecadar dinheiro para pagar as passagens aéreas, a estada e a alimentação dos canadenses. A família informou que vai pedir também ajuda ao Itamaraty para os custos da viagem do grupo de resgate.

Buchmann viaja por diversos países há mais de um ano, como parte de um estudo. Só em nações africanas ele está há mais de dois meses.

O Dia
O Dia - © Copyright Editora O Dia S.A. - Para reprodução deste conteúdo, contate a Agência O Dia.