inclusão de arquivo javascript

 
 

Juiz manda IC e IML preservar material genético dos Nardoni

21 de maio de 2009 10h44 atualizado às 21h05

Justiça determina novo DNA de casal Nardoni

A Justiça de São Paulo determinou, nesta quinta-feira, que o Instituto de Criminalística (IC) e o Instituto Médico Legal (IML) preservem o material genético de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta de Isabella Nardoni, morta em março do ano passado. A defesa do casal, acusado de matar a menina, pedia a realização de um exame de DNA para tentar provar que o sangue encontrado na cena do crime não é dos acusados. Para o juiz Maurício Fossen, este não é um "momento processual adequado para que as partes possam requerer novas diligências".

O magistrado afirmou que a preservação do material genético se dá "apenas por uma questão de precaução e para deixar mais tranqüila a defesa". Os institutos devem manter guardados os restos dos materiais "até nova ordem deste Juízo, visando assim permitir a realização de futuras diligências para comprovar suas origens, no futuro, se necessário".

Sobre o fato de a defesa do casal ter afirmado que o sangue usado para a análise não ser do casal, pois o pai e a madrasta da menina não teriam recolhido sangue para o exame de DNA feito pela perícia do caso, o magistrado considerou que "é necessária uma maior cautela antes de lançar tão grave acusação nos autos a respeito daqueles laudos periciais".

A alegação da defesa toma por base o fato de as guias de recolhimento do sangue dos réus não terem sido achadas no IC e no IML. Para a defesa, isso coloca em dúvida o resultado dos exames. Maurício Fossen disse que os antigos advogados do casal declararam, em uma dos pedidos de liberdade, que os réus permitiram a coleta do sangue, para demonstrar que estavam colaborando com as investigações. O juiz também disse que antes de fazer novas diligências é preciso ouvir o que os peritos têm a dizer.

Isabella, de 5 anos, morreu em 29 de março de 2008, ao ser atirada do 6º andar do prédio em que seu pai e a madrasta moravam. Os dois estão presos.

Redação Terra