inclusão de arquivo javascript

 
 

Gripe: Anvisa decide monitorar todos os vôos internacionais

29 de abril de 2009 20h32 atualizado em 30 de abril de 2009 às 19h49

Passageiras oriundas do México desembarcam no Aeroporto de Cumbica vestindo máscaras. Foto: Vagner Campos/Futura Press

Passageiras oriundas do México desembarcam no Aeroporto de Cumbica vestindo máscaras
Foto: Vagner Campos/Futura Press

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ampliou, na noite desta quarta-feira, o monitoramento para todos os vôos internacionais que chegarem ao Brasil. Nesta tarde, a OMS elevou de quatro para o cinco o nível de alerta de uma pandemia de gripe suína por verificar que existem pelo menos dois países em uma mesma região com casos confirmados desse tipo de influenza.

Também serão intensificadas as ações de controle sanitário nos portos. As embarcações procedentes de áreas afetadas, que apresentarem casos suspeitos identificados a bordo, receberão o documento de Livre Prática a bordo, após inspeção física realizada em um local designado.

Além disso, a Avisa recomenda que os comandantes das embarcações estejam sensíveis à ocorrência de sinais e sintomas compatíveis com o quadro de gripe suína a bordo da embarcação e informem à autoridade sanitária.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, anunciou que 36 pessoas são monitoradas em todo o País por terem apresentados sintomas semelhantes aos da gripe suína. Outros dois pacientes - um em Minas Gerais e outro em São Paulo - se enquadram no protocolo do ministério como casos clínicos suspeitos.

O que é a gripe suína
É uma doença respiratória que atinge porcos causada pelo vírus influenza tipo A, que tem diversas variantes. Algumas das mais conhecidas são a H1N1, a H2N2 e a H3N2.

A gripe suína geralmente não atinge os humanos, e até então eram raros são os casos de contágio de pessoa para pessoa. A contaminação ocorre da mesma forma que a gripe comum, por meio de perdigotos (gotículas de saliva) lançados na tosse e espirros.

Sobre o recente surto que teve origem no México, a Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmou que alguns dos casos registrados são formas não conhecidas da variedade H1N1 do vírus Influenza A.

Ele é geneticamente diferente do vírus H1N1 que vem atacando humanos nos últimos anos e contém DNA associado aos vírus que causam as gripes aviária, suína e humana, incluindo elementos de viroses européias e asiáticas.

Redação Terra

Alerta é feito pelo infectologista David Uip, diretor do Hospital Emílio Ribas, de SP; ele diz que atitude é equivocada

  1. Passageiras oriundas do México desembarcam no Aeroporto de Cumbica vestindo máscaras  Foto: Vagner Campos/Futura Press

    Passageiras oriundas do México desembarcam no Aeroporto de Cumbica vestindo máscaras

    Foto: Vagner Campos/Futura Press

  2. Criança recebe cuidados especiais para evitar possível contágio  Foto: Vagner Campos/Futura Press

    Criança recebe cuidados especiais para evitar possível contágio

    Foto: Vagner Campos/Futura Press

  3. Funcionários do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Belo Horizonte (MG), utilizam máscaras como medida de prevenção  Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura Press

    Funcionários do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Belo Horizonte (MG), utilizam máscaras como medida de prevenção

    Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura Press

  4. Pilotos e comissários usam máscaras  Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura Press

    Pilotos e comissários usam máscaras

    Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura Press

  5. Estado de Minas Gerais possui quatro casos de suspeita de gripe suína  Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura Press

    Estado de Minas Gerais possui quatro casos de suspeita de gripe suína

    Foto: Alex de Jesus/O Tempo/Futura Press

/foto/0,,00.html