inclusão de arquivo javascript

 
 

Em missa de padre Marcelo, Dilma cumpre roteiro de candidata

05 de março de 2009 22h53 atualizado em 06 de março de 2009 às 00h39

Local obrigatório para candidatos nas eleições, a missa do padre Marcelo Rossi recebeu nessa quinta-feira a presença da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), cotada para concorrer à sucessão presidencial em 2010, e que vem procurando se tornar conhecida do grande público.

Mais do que participar da celebração embalada por muita música, Dilma parecia não tirar os olhos do padre Marcelo, um comunicador popular de 41 anos que atrai até 20 mil fiéis a sua igreja, o Santuário do Terço Bizantino, a cada cerimônia.

"Deus está aqui neste momento, sua presença é real", pregou padre Marcelo durante a missa.

A ministra foi apresentada ao público pelo bispo dom Fernando Figueiredo, que também reza a missa. "Está aqui uma pessoa ilustre, seja bem-vinda ministra", disse ele, seguido de alguns aplausos.

Dilma estava acompanhada da secretária-executiva do ministério, Eunice Guerra, suspeita de participação na elaboração de um dossiê contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

De terninho amarelo, Dilma usava óculos, abandonando as lentes de contato que começou a usar recentemente.

A ex-guerrilheira de esquerda tinha um rosário entre as mãos e acompanhou as primeiras músicas batendo palmas. Ela rezou partes da missa, não comungou nem ajoelhou e foi convidada a ler uma passagem da Bíblia, que parece mandar recado aos partidos de oposição.

"Põe em meus lábios um discurso atraente quando eu estiver diante do leão e muda seu coração para que odeie aquele que nos ataca, para que este pereça com todos os seus cúmplices, e livra-nos da mão de nossos inimigos", dizia trecho do "Livro de Ester" lido por Dilma, que está no capítulo 4, versículo 17 da Bíblia.

Também sentaram-se no palco figuras de várias tendências como o vereador Gabriel Chalita (PSDB) e o deputado federal Jilmar Tatto (PT-SP), que tem sua área de atuação na zona sul de São Paulo, onde se localiza o Santuário. Integrantes da banda KLB também compareceram.

"Ela é de uma espiritualidade muito grande e de um respeito muito grande pela religiosidade do povo", disse Tatto a jornalistas ao final da missa. A ministra não falou aos jornalistas após a missa.

O deputado afirmou que Dilma sempre teve vontade de conhecer o santuário e o padre Marcelo e que sua presença coincidiu com outro compromisso na cidade, que, no entanto, não consta de sua agenda pública. Questionado se não seria um ato eleitoral, Tatto disse que neste ano não há eleições no país.

Muitos dos presentes conheciam a ministra, como o motorista Alenírio Esperandio. "Tenho minhas dúvidas se vir aqui resolve", disse ele.

Depois de fazer plástica facial na passagem do ano, Dilma passou o Carnaval no Recife e participou em Brasília de um evento de prefeitos de todo o país promovido pelo governo federal que foi visto pela oposição como sua apresentação como candidata à Presidência.

Reuters
Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.