inclusão de arquivo javascript

 
 

Médicos adiam aborto em menina de 9 anos estuprada

01 de março de 2009 23h01 atualizado às 23h13

Alexandra Torres

Direto de Pernambuco

Foram adiados os procedimentos para a realização do aborto na garota de 9 anos violentada sexualmente pelo padrasto, em Alagoinhas, no Agreste de Pernambuco. O processo seria iniciado nesse fim de semana. A menina permanece internada no Instituto Materno Infantil de Pernambuco (Imip), onde deu entrada na última sexta-feira (27), e está grávida de gêmeos.

Ao chegar ao Imip a garota foi encaminhada para a maternidade de alto risco, onde foram realizados diversos exames. A ultra-sonografia constatou que ela já está na quinta semana de gestação. A interrupção da gravidez foi autorizada pela família da criança e, segundo a lei brasileira, em caso de estupro a realização do aborto dispensa a autorização judicial.

O caso da menina violentada pelo padrasto foi descoberto depois que a mãe da criança a levou ao médico. Ela queixava-se de dor de cabeça, enjôos e tontura. Quando foi identificada a gestação, a menina confesssou que era abusada sexualmente há três anos pelo padrasto, Jailson José Silva, de 23 anos. O acusado foi preso e confessou o abuso, bem como que também teria violentado a outra irmã da menina, de 14 anos, e portadora de deficiência.

Especial para Terra