inclusão de arquivo javascript

 
 

Suspeito de envolvimento com rede de pedofilia é solto em SP

27 de fevereiro de 2009 23h48

Chico Siqueira

Direto de Araçatuba


A Polícia Civil de Catanduva (SP), a 385 km da capital paulista, libertou nesta sexta-feira o operário Eduardo Arquinho, 19 anos, suspeito de envolvimento com uma rede de pedofilia. Ele foi preso ontem após ser reconhecido por uma menina de 10 anos como o motociclista que a levou para a casa de um médico, onde teria sido molestada.

Hoje a polícia levou a menina para fazer o reconhecimento da residência. Segundo nota distribuída pela delegada Rosana Vanni, a criança não reconheceu a casa, nem a cor da motocicleta usada por Eduardo. A família da menina rebateu as informações divulgadas. "Minha filha reconheceu, sim, a casa. Ela me contou em detalhes e avó, que a acompanhou, também me disse que o reconhecimento foi feito sim", disse a mãe, Érica Reis.

Érica e outras mães acusam a polícia de irregularidades na condução dos inquéritos que apuram o caso, como o suposto desaparecimento de fotos das crianças nuas, falta de assistência social e de advogados para as vítimas. Elas também afirmam que teria havido facilitação para que suspeitos com alto poder aquisitivo não fossem investigados.

A veiculação das denúncias na imprensa levou a Justiça a nomear, nesta sexta-feira, dois promotores para acompanhar o caso. A juíza Sueli Juarez Alonso também chamou as dez crianças que fizeram o reconhecimento na quinta-feira para uma nova sessão de depoimentos hoje no fórum da cidade.

As denúncias fizeram a Corregedoria da Polícia Civil instaurar um procedimento para apurar o caso. Uma delegada nomeada pela Corregedoria irá às casas das vítimas para ouvir as mães e também fará oitivas com os policiais envolvidos no caso.

As mães decidiram levar as denúncias para a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia do Senado. O presidente da comissão, senador Magno Malta (PR-ES), disse que monitora o caso. "A CPI já pediu o inquérito do caso e amanhã ou segunda estarei em Catanduva para ouvir Ministério Público, juíza e delegados. Vamos ouvir todos os envolvidos e não vai escapar nenhum acusado, seja rico ou pobre, será convocado para depor na CPI em Brasilia", falou.

O senador Romeu Tuma afirmou que a Polícia Federal vai entrar no caso para investigar se as fotos das crianças foram distribuídas na internet, como suspeitam a polícia e a Justiça.

Especial para Terra