inclusão de arquivo javascript

 
 

Rio: supostos traficantes comemoram morte de rival

03 de novembro de 2008 01h41

Em mais uma demonstração de afronta à polícia, supostos traficantes do Complexo do Alemão promoveram uma festa para comemorar o assassinato de Antônio José de Souza Ferreira, o Tota, que até setembro comandava o tráfico na comunidade e era um dos bandidos mais procurados do Rio. As imagens da "farra" foram exibidas ontem na TV Record. A festa teria sido comandada por Luciano Martiniano da Silva, o Pezão, que assumiu o comando do tráfico no Complexo após a morte de Tota. Pezão aparece nas imagens cercado de homens fortemente armados.

» Bope troca tiros com traficantes no Alemão
» Leia mais notícias do jornal O Dia

As cenas surpreenderam o delegado Ronaldo Oliveira, da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), que prendeu Pezão em 2005 - o traficante foi solto depois por ordem da Justiça. A comemoração teria ocorrido no Largo do Coqueiro, considerado o coração do Complexo do Alemão, e durou até o dia clarear. Além de Pezão, aparecem outros integrantes da quadrilha, identificados pela polícia como Mister M, Durval, V 2, Rogério e Ovo, que seria o professor de Jiu-Jitsu do chefão. Pezão veste roupas de grife e um grosso cordão de ouro branco com as iniciais LR, que seriam de Luciano e Rose (nome de uma de suas mulheres).

"Comemorando a noite toda com arma na cintura. Ninguém esconde a cara. É estarrecedor. É um deboche sem precedentes. Não vi uma cena desta nem em filmagem da época de Pablo Escobar na Colômbia", disse o delegado ao ver as imagens. Ele pretende usar as cenas para pedir a prisão da quadrilha. Tota teria sido morto por ordem de Fernandinho Beira-Mar, e Marcinho VP, líderes da facção criminosa Comando Vermelho.

O Dia
O Dia - © Copyright Editora O Dia S.A. - Para reprodução deste conteúdo, contate a Agência O Dia.