inclusão de arquivo javascript

 
 

Manifesto de 130 juízes diz que Mendes põe Judiciário em risco

11 de julho de 2008 19h05 atualizado em 12 de julho de 2008 às 02h44

Os juízes federais da 3ª região fizeram um manifesto contra o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes. Os 130 magistrados que assinaram o documento alegam que Mendes pediu ao Conselho Nacional de Justiça para investigar o juiz Fausto Sanctis, da 6ª Vara Federal Criminal, responsável pelos mandados de prisão na Operação Satiagraha da Polícia Federal. Segundo o manifesto, Mendes coloca em risco a "independência do Poder Judiciário".

» Veja: Lula comenta prisões da PF
» Veja juízes que assinaram manifesto
» Procuradores: "dia é de luto"
» Opine sobre as prisões na operação

De acordo com os juízes, Mendes determinou que fossem encaminhadas cópias da decisão juiz federal Fausto de Sanctis para o Conselho Nacional de Justiça, ao Conselho da Justiça Federal e à Corregedoria Geral da Justiça Federal da 3ª Região.

Os magistrados alegam que não há motivo plausível "para que um juiz seja investigado por ter um determinado entendimento jurídico". "Prestamos, pois, nossa solidariedade ao colega Fausto de Sanctis e deixamos clara nossa discordância para com este ato do ministro Gilmar Mendes, que coloca em risco o bem tão caro da independência do Poder Judiciário", afirma o manifesto.

A assessoria do STF não soube informar se o ministro Gilmar Mendes encaminhou cópias da decisão de Sanctis ao CNJ e afirmou que o presidente do STF encaminhou sua própria decisão aos órgãos.

Na quarta-feira, o banqueiro Daniel Dantas foi solto por uma determinação de Mendes, que aceitou pedido de habeas-corpus apresentado pela defesa do banqueiro. Ontem, Dantas voltou a ser preso por decisão de De Sanctis, que entendeu haver indícios de que o banqueiro teria subornado um delegado da Polícia Federal, responsável pelas investigações. Hoje, Mendes determinou a soltura de Dantas e alegou "desrespeito" da decisão de Sanctis.

Redação Terra