inclusão de arquivo javascript

 
 

PF apreende HDs e documentos em empresa de Eike

11 de julho de 2008 16h11 atualizado às 16h31

Agentes da Polícia Federal vasculharam a sede da empresa MMX, na praia do Flamengo, na zona sul do Rio de Janeiro, durante seis horas e meia. A PF chegou a local por volta das 9h e saiu às 15h30 com HDs de computadores e documentos. O trabalho faz parte da Operação Toque de Midas, que investiga a possibilidade de fraude em licitação por parte do empresário para realizar a obra de uma estrada de ferro do Amapá.

» Empresa de Eike nega fraudes
» PF faz buscas na casa de Eike
» vc repórter: mande fotos e notícias

O trabalho da PF na empresa contou com apoio de três carros da Polícia Federal e outros dois veículos descaracterizados. Nenhum agente federal comentou a operação, alegando que as investigações estão concentradas no Amapá.

A MMX Amapá, empresa do Grupo EBX, pertencente ao empresário Eike Batista, divulgou nota negando que "tenha cometido qualquer tipo de irregularidade ou ilícito nas ações ligadas à licitação que resultou na outorga da concessão da estrada de ferro do Amapá".

A Polícia Federal informou que foram encontrados indícios de direcionamento da licitação para que as empresas do grupo MMX vencessem a concorrência. O direcionamento se daria com o ajuste prévio de cláusulas favoráveis às empresas do grupo MMX, principalmente as referentes à habilitação dos participantes no procedimento licitatório, afastando, dessa forma, demais interessados na concessão da estrada de ferro.

Redação Terra