inclusão de arquivo javascript

 
 

Sargento gay: comissão do Senado acompanhará caso

05 de junho de 2008 13h54

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado terá um grupo para acompanhar o desenrolar do caso do sargento do Exército que foi preso logo após ter concedido uma entrevista na qual assumia ser homossexual. A informação é da Agência Senado.

» Jobim nega discriminação em prisão
» Opine sobre a prisão do militar

O senador Eduardo Suplicy presidirá o grupo, cujo objetivo é negociar uma solução junto ao Ministério a Defesa e ao comando do Exército. O senador afirmou que o sargento, que estava detido em São Paulo, foi transferido e deve chegar em Brasília ainda hoje.

Os senadores Serys Slhesssarenko (PT-MT), Fátima Cleide (PT-RO) e José Nery (PSOL-PA) também farão parte do grupo.

O sargento Laci Marinho de Araújo e ficou conhecido após uma entrevista à revista Época, na qual assumiu seu relacionamento com o também sargento do Exército Fernando de Alcântara Figueiredo. Durante a madrugada de ontem, ele concedeu entrevista ao programa SuperPop, da Rede TV!, em São Paulo.

Segundo o Exército, havia um mandado de prisão contra Laci de Araújo desde maio de 2007. Ele é acusado do crime de deserção por ter abandonado suas funções no ano passado e estava foragido desde então. O chefe de Comunicação do Comando Militar do Sudeste, coronel Moura, explicou que esse crime é permanente, ou seja, enquanto a pessoa não se entrega, existe a possibilidade de prisão em flagrante.

Redação Terra