inclusão de arquivo javascript

 
 

PA: governadora critica Justiça no caso Dorothy

08 de maio de 2008 02h15 atualizado às 02h17

A governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, criticou a decisão da Justiça de absolver o fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, acusado de envolvimento na morte da missionária americana Dorothy Stang. Ela disse que "a decisão demonstra o quanto o sistema judiciário brasileiro é frágil para combater a impunidade, pois pune apenas quem aperta o gatilho".

» Ministro: caso Stang prejudica o País
» OAB-SP: júri pode ser anulado
» Stang: promotor recorrerá de absolvição

Ela declarou, também, que o governo tem interesse em reabrir as investigações sobre o caso que, segundo a governadora, chocou o mundo e manchou a imagem do Estado e do Brasil.

"Nessa fase do processo, essa iniciativa (de reabrir as investigações) é exclusiva do Ministério Público. Se for dado um passo nesse sentido, queremos investigar com mais profundidade esse caso e assim denunciar à Justiça os verdadeiros envolvidos", disse Ana Júlia.

O fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, acusado de envolvimento na morte da missionária americana Dorothy Stang, foi absolvido em julgamento no Fórum Criminal de Belém (PA), na terça-feira. A missionária americana foi morta a tiros, há três anos, na localidade de Anapu, no sudeste do Pará. Bida havia sido condenado a 30 anos de prisão em outro julgamento como mandante do crime.

Redação Terra