inclusão de arquivo javascript

 
 

OAB-SP: júri do caso Dorothy pode ser anulado

07 de maio de 2008 14h28 atualizado às 14h50

A Ordem dos Advogados do Brasil - seccional de São Paulo - avalia que o julgamento que absolveu o fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, que seria o mandante da morte da missionária americana Dorothy Stang, pode ser anulado. Segundo a ordem, o fato de haver dois jurados no último júri que participaram do primeiro pode levar ao pedido de anulação. A decisão de um novo julgamento será do Tribunal de Justiça do Pará.

» Entenda o caso Dorothy Stang
» OAB: absolvição deve ser corrigida
» Fazendeiro é absolvido
» Irmão diz estar desapontado

A OAB-SP informou que vai solicitar a cópia do processo. O objetivo é verificar a possibilidade de um representante da OAB atuar como assistente de acusação em um novo julgamento de Bida.

"Iremos dar todo apoio para que a justiça seja concretizada", afirmou o presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D'Urso, durante reunião que aconteceu na sede da OAB, com o irmão de Dorothy, David Stang.

Segundo a missionária americana Julia Depweg, que também participou da reunião, o povo do Pará está chocado com a decisão da Justiça de seu Estado, que absolveu o fazendeiro. "O trabalho do promotor e dos assistentes foi excelente, por isso nós tomamos um susto com a decisão", disse. "Há muita impunidade no Estado Pará", afirmou.

O irmão de Dorothy quer a realização de um novo julgamento para que sejam apuradas as informações dos depoimentos no último julgamento de Vitalmiro, que ele classificou como mentiras.

O coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, Mário de Oliveira Filho, afirmou que "é fundamental essa fiscalização da sociedade civil para que a justiça seja feita".

Redação Terra