inclusão de arquivo javascript

 
 

SC: 31 municípios apresentam danos após ciclone

04 de maio de 2008 13h25 atualizado às 18h05

Um levantamento divulgado pela Defesa Civil de Santa Catarina mostra que até o final da manhã 31 municípios do Estado apresentaram danos nos últimos dois dias devido à atuação de um ciclone extratropical na região Sul. Duas cidades, Ermo e Arroio Silva, informaram que decretaram estado de emergência.

» CORREÇÃO: 31 municípios apresentam danos
» SC pode registrar neve amanhã
» Ciclone deixa 25 mil desalojados no RS
» vc repórter: mande fotos e relatos

Uma equipe do órgão estadual percorreu as regiões afetadas de helicóptero. Em Ermo, no sul de Santa Catarina, a situação é considerada uma das mais críticas: 40 famílias estão desabrigadas e a chuva ainda não havia cessado até as 12h.

Várias ruas e prédios públicos permaneciam alagados. Na região, choveu nas últimas 48 horas cerca de 180 mm, índice duas vezes maior do que a média prevista para todo o mês de maio.

Em Araranguá, cidade localizada a cerca de 210 km de Florianópolis, a prefeitura e soldados do Corpo de Bombeiros podem evacuar comunidades ribeirinhas ainda hoje.

O rio Araranguá marcou 2,7 m acima do nível normal no fim da manhã e, como a chuva ainda não havia cessado, existe o risco de grandes alagamentos em comunidades rurais.

"Estamos trabalhando em plantão e monitorando o nível de rios para atender às vítimas do ciclone", destacou Márcio Luiz Alves, diretor da Defesa Civil.

Na cidade de Nova Veneza, a situação também é considerada crítica. A Companhia de Águas de Santa Catarina (CASAN), precisou abrir comportas da Barragem São Bento durante a madrugada, para evitar o transbordamento.

Como o rio está bem acima do leito normal, sete pontes acabaram interditadas e os alagamentos isolaram cerca de 50 famílias que moram em duas comunidades ribeirinhas.

Entre os 31 municípios afetados pelo ciclone desde a madrugada de sábado, a grande maioria fica na região sul: Araranguá, Arroio Silva, Balneário Gaivota, Ermo, Braço do Norte, Içara, Criciúma, Jacinto Machado, Imbituba, Jaguaruna, Laguna, Lauro Müller, Morro Grande, Meleiro, Nova Veneza, Orleans, Forquilhinha, Passo de Torres, Praia Grande, São João do Sul, São Martinho, Santa Rosa do Sul, Siderópolis, Sombrio, Timbé e Tubarão. A região metropolitana também apresentou registros de danos em Florianópolis, Biguaçu, Palhoça, Paulo Lopes, Santo Amaro da Imperatriz e Governador Celso Ramos.

Rio Grande do Sul
No Estado, a Defesa Civil estima que pelo menos 25 mil pessoas estão fora de suas casas, principalmente devido a alagamentos. Pelo menos duas pessoas morreram.

Os maiores problemas estão concentrados em Porto Alegre e 17 municípios da região metropolitana e do litoral norte, atingidos por alagamentos, enxurradas, além de quedas de árvores e de postes causadas pelos ventos.

Três cidades, Santo Antônio da Patrulha, Caraá e Itati; informaram que vão decretar estado de emergência, de acordo com o coordenador da Defesa Civil estadual, coronel João Prates.

Um homem morreu, atingido pelo desabamento de uma árvore sobre seu carro no município de Serafina Corrêa, na serra gaúcha. Na zona sul da capital, uma mulher morreu em um bairro alagado, mas ainda não foi apurada relação direta com as chuvas, já que a causa foi um infarto.

A previsão é de que o ciclone extratropical que atinge a região provoque novas rajadas de vento que poderão ultrapassar os 80km/h em algumas localidades.

Com informações da Agência Brasil

Redação Terra