inclusão de arquivo javascript

 
 

Caso Isabella: aparato para depoimentos tem 25 policiais

18 de abril de 2008 09h20 atualizado às 10h27

Cerca de 25 policiais civis estão envolvidos no aparato para os depoimentos de Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá, pai e madrasta de Isabella Nardoni, que completaria nesta sexta-feira 6 anos. A menina morreu no último dia 29 de março, em circunstâncias que estão sendo investigadas pela polícia.

» Veja a cronologia do caso Isabella
» Veja todos os vídeos do caso Isabella
» Queda seria para esconder lesões
» Opine sobre o caso Isabella

Além dos funcionários do 9º Distrito Policial, participam da operação homens do Grupo de Operações Especiais (GOE) e da delegacia seccional norte de São Paulo.

Nesta manhã, a rua Camarés, em frente à delegacia, foi fechada ao trânsito pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Um grupo de cerca de 30 curiosos acompanha a movimentação à distância.

O porteiro João Neto do Nascimento está desde as 8h no local e afirma que espera justiça. "Os culpados desse caso precisam ser punidos", diz.

Os depoimentos de Ana Carolina e Alexandre Nardoni acontecerão em salas separadas e podem durar cerca de 6 horas. Os dois têm o direito de permanecer em silêncio e não responder nenhuma das perguntas feitas pela polícia.

Com os laudos do Instituto Criminalística de do Instituto Médico Legal em mãos, a polícia pretende questionar os dois averiguados sobre as circunstâncias da morte da menina.

O 9º Distrito Policial estará cuidando hoje exclusivamente do caso Isabella e todas ocorrências serão transferidas para o 19º Distrito Policial na Vila Maria, zona norte da capital. Alguns funcionários foram transferidos para o local, para auxiliar no atendimento. O 19º DP fica na Amambaí, 1.181, Vila Maria.

Isabella Nardoni, 5 anos, foi encontrada ferida, no sábado, dia 29 de março, no jardim do prédio onde moram o pai, Alexandre Nardoni, e a madrasta, Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, na zona norte de São Paulo. Segundo os Bombeiros, a menina chegou a ser socorrida e levada ao Pronto-Socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da 0h. O casal ficou preso por 9 dias suspeito de envolvimento no crime.

Redação Terra