inclusão de arquivo javascript

 
 

Isabella: Justiça decreta prisão de pai e madrasta

02 de abril de 2008 20h15 atualizado em 11 de abril de 2008 às 15h08

Alexandre Nardoni, pai de Isabella, chega ao 9º DP. Foto: Ricardo Brito/Especial para Terra

Alexandre Nardoni, pai de Isabella, chega ao 9º DP
Foto: Ricardo Brito/Especial para Terra

O Tribunal do Júri de São Paulo aceitou o pedido de prisão temporária do casal Alexandre Alves Nardoni e Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella Oliveira Nardoni, 5 anos, que morreu sábado quando caiu do 6º andar de um prédio em São Paulo. A prisão é válida por 30 dias, prorrogáveis por mais 30 dias. Inicialmente, o cartório do TJ passou que a validade seria de cinco dias. O juiz Maurício Fossem, da 2ª Vara do Tribunal de Justiça, também decretou sigilo do caso.

» Veja a cronologia do caso Isabella
» Vizinha: "ouvi gritos de socorro"
» Mãe: "que a justiça seja feita"

O delegado responsável pelo inquérito, Calixto Calil Filho, pediu hoje ao Tribunal do Júri de São Paulo a prisão temporária de Nardoni e da madrasta de Isabella. Em seguida, o Ministério Público de São Paulo deu parecer favorável ao pedido de prisão. O juiz Maurício Fossem, da 2ª Vara do Tribunal de Justiça, tinha prazo de 48 horas para aceitar ou negar o pedido de prisão do casal.

De acordo com o Ministério Público, a partir de quinta-feira o promotor Francisco José Cembranelli assume o caso.

A polícia realiza, na noite de hoje, uma perícia complementar no apartamento e no prédio onde ocorreu a morte da menina. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, uma equipe de peritos do Instituto de Criminalística fará o trabalho utilizando, entre outros materiais, luminol (produto químico que faz aparecer resíduos de sangue) e luzes florenses.

Na chegada ao 9° Distrito Policial (Carandiru), os peritos afirmaram que farão uma varredura no local para encontrar sangue, pêlos e fluidos corporais.

Redação Terra