inclusão de arquivo javascript

 
 

Menina foi jogada de quarto dos irmãos, diz polícia

31 de março de 2008 13h28 atualizado em 11 de abril de 2008 às 16h11

Segundo a polícia, Isabela foi deixada pelo pai (foto) no quarto em que costumava ficar. Foto: Werther Santana/Agência Estado

Segundo a polícia, Isabela foi deixada pelo pai (foto) no quarto em que costumava ficar
Foto: Werther Santana/Agência Estado

O boletim de ocorrência do homicídio da menina Isabella de Oliveira Nardoni, 5 anos, morta na noite de sábado, ao cair de um prédio na zona norte de São Paulo, registra que ela foi atirada da janela de um quarto diferente do que foi colocada para dormir. Segundo a polícia, Isabela foi deixada pelo pai no quarto em que costumava ficar, mas a tela que estava cortada foi a da janela do dormitório em que os meio-irmãos usavam para dormir.

» Veja a cronologia do caso Isabella
» Menina foi atirada, diz polícia
» Corpo de menina é enterrado
» Tio: pais tinham relação excelente
» Avô de menina isenta pai de culpa

A menina costumava passar pelo menos dois fins de semana por mês com o pai, Alexandre Nardoni, na casa onde ele morava com a mulher, Anna Carolina Peixoto, e os dois filhos do casal, de 3 anos e 11 meses. Ainda conforme a polícia, o pai alega ter deixado todas as luzes do apartamento desligadas, mas o abajur do quarto dos meninos estava aceso quando ele voltou.

Segundo o pai da vítima, Isabella estava sozinha no apartamento no momento em que foi jogada da janela. Ele afirmou que deixou sua mulher e os dois filhos do casal no carro, enquanto subiu para colocar a menina, que já dormia, na cama.

O pai da vítima teria então descido para ajudar a carregar as outras duas crianças, trancado a porta e, ao voltar ao apartamento, destrancou a porta, entrou e viu a tela cortada e a filha caída no gramado em frente ao prédio. Entre o momento de colocar a filha na cama e a volta ao quarto teriam passado de 5 a 10 minutos, de acordo com o depoimento do pai.

Segundo a polícia, também havia marcas de sangue no quarto da criança, o que reforça a tese de que ela foi agredida antes de ser jogada pela janela. No domingo, a perícia feita pela Polícia Técnico-Científica confirmou que a rede de proteção da sacada foi cortada propositalmente por objeto cortante.

Ainda de acordo com as informações do boletim de ocorrência, Isabella apresentava ferimentos na testa e na perna direita, ambos com sangramento, ao ser atendida no pronto-socorro da Santa Casa.

O corpo da menina foi enterrado na manhã de hoje no Cemitério Parque dos Pinheiros, em Jaçanã.

Redação Terra