inclusão de arquivo javascript

 
 

Pai e madrasta de Isabella são liberados em SP

31 de março de 2008 07h38 atualizado em 11 de abril de 2008 às 16h15

O pai e a madrasta deixam delegacia durante a madrugada. Foto: Werther Santana/Agência Estado

O pai e a madrasta deixam delegacia durante a madrugada
Foto: Werther Santana/Agência Estado

O pai, Alexandre Nardoni, e a madrasta, Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, da menina Isabella de Oliveira Nardoni, 5 anos, que foi encontrada ferida no sábado, dia 29, no jardim de um prédio na zona norte de São Paulo, deixaram o 9º Distrito Policial (Carandiru) na madrugada de hoje. Eles saíram escoltados por amigos e houve tumulto em frente à delegacia. A a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que a polícia deverá fazer a reconstituição do crime. A data, no entanto, ainda não foi confirmada.

» Veja a cronologia do caso Isabella
» Menina foi atirada, diz polícia
» Tio: pais tinham relação excelente
» Polícia confirma que menina foi jogada
» Menina de 5 anos morre em prédio em SP

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Peixoto prestavam depoimento desde a noite de sábado ao delegado Calixto Calil Filho. No domingo, a perícia feita pela Polícia Técnico-Científica confirmou que a rede de proteção da sacada foi cortada propositalmente.

Segundo o delegado, o fato da rede ter sido cortada é a prova determinante para considerar o caso um homicídio. Ainda de acordo com o delegado, havia marcas de sangue no quarto da criança, o que reforça a tese de que ela foi agredida antes de ser jogada pela janela.

Segundo o pai da vítima, Isabella estava sozinha no apartamento no momento em que foi jogada da janela. Ele afirmou que deixou sua mulher e os dois filhos do casal no carro, enquanto subiu para colocar a menina, que já dormia, na cama.

O pai da vítima teria descido para ajudar a carregar as outras duas crianças, respectivamente de 3 anos e 11 meses, e, ao voltar ao apartamento, viu a tela cortada e a filha caída no gramado em frente ao prédio. Entre o momento de colocar a filha na cama e a volta ao quarto teriam passado de 5 a 10 minutos, de acordo com o depoimento do pai.

Isabella chegou a ser socorrida e levada para o Pronto-Socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da 0h de domingo. O corpo da menina foi enterrado na manhã de hoje no Cemitério Parque dos Pinheiros.

Redação Terra